InternetData CenterAssinante

Com pop e jazz, Ayleen estreia single autoral dançante e intimista

Cantora criciumense amplia a força feminina na cena musical com gravação independente
Com pop e jazz, Ayleen estreia single autoral dançante e intimista
Por Redação Engeplus Em 30/04/2021 às 22:38

Uma nova safra de artistas catarinenses tem bebido das angústias da crise e do isolamento social para apresentar uma pulsão criativa que não pretende esperar o cenário econômico arrefecer para mostrar seu vigor. Nesse contexto, a cantora criciumense Ayleen entrega, como cartão de visita da sua estreia musical, o single autoral "Each Other". A faixa chegou às plataformas digitais na última sexta, dia 16.

Na canção de estreia, ela narra trechos de uma relação amorosa em declínio. Uma balada dançante que conforta, é atual e despretensiosamente reflexiva, que transita entre o pop grooveado e sutis camadas de soul, com seus sopros jazzísticos. “Each Other” é o primeiro registro da série de singles que Ayleen pretende lançar em 2021, produzidos de forma independente durante o isolamento social, com as gravações dos instrumentos e processo criativo feitos à distância. 

“Na pandemia, me bateu um sentimento de urgência criativa para, finalmente, registrar minhas músicas que estavam guardadas e escondidas há muitos anos. ‘Each Other’ foi minha primeira composição depois de um longo período de bloqueio criativo. Foi ela que deu vazão a uma série de músicas novas e achei que seria justo transformá-la em meu primeiro lançamento autoral.”

A busca pela saúde mental, feminismo, vínculos de amizade e a relação com a ausência do pai, falecido quando tinha um ano de idade, são pautas comuns e urgentes que embalam as batidas contemporâneas dos próximos singles.

Projetos anteriores e empoderamento feminino

Após dedicar os últimos anos a projetos ligados ao blues e ao jazz, ao lado do guitarrista Rafael Meksenas e do trompetista Bruno Passos, com o 4 Seasons Jazz Trio, a artista enfim lança um registro autoral genuinamente pop. Em “Each Other”, as crenças da cantora de 27 anos ficam claras em fartes doses de ideologia feminista.

Ciente da situação social e política do país e cheia de opiniões a respeito dos porquês da ascensão de pautas conservadoras em todo o mundo, a voz de Ayleen pela valorização da mulher artista e independente no Brasil é a sua bandeira mais proeminente.

“Ser mulher e produzir música de forma independente no Brasil, com recursos e orçamento limitados, é uma grande quebra de paradigma, ainda mais durante uma pandemia. Hoje, eu monetizo minha criação musical com meu trabalho como professora de canto e com a produção de itens próprios da marca Ayleen. Exige planejamento, resiliência e crença na arte. Viver da profissão que se ama, e ser realizado financeiramente por meio dela, é uma forma de resistência.”

 

Mistura criativa

Jornalista por formação, e criada em Florianópolis, sua empreitada na música começou em 2017, ao decidir encará-la como profissão e se dedicar aos estudos no curso de música da Universidade Estadual de Santa Catarina. Amparada pela técnica vocal, e já atuando como professora de canto, a estreia sob seu nome artístico vem após a passagem pelo 4 Seasons Jazz Trio, projeto que deu luz a um repertório prioritariamente feminino, a quem Ayleen credita a consolidação da sua sonoridade.    

Com fluidez, a artista crê que as fronteiras entre os gêneros são mais sutis. Nessa toada, seu EP de estreia pretende mesclar despudoradamente o pop, soul, blues e jazz, em um jogo que evidencia doses fartas de militância feminina por liberdade criativa. "Rock é pop, jazz é pop. A música é como o universo, uma árvore que tem vários galhos, mas todos fazem parte de um só sistema vivo." 

No palco como nas salas de aula, ela conjuga diferentes referências musicais que extrapolam os manuais: de Alanis Morissete, a primeira grande diva, passando por Elis Regina, Ma Rainey e Janis Joplin são tão importantes quanto Christina Aguilera e Dua Lipa.

Leia mais sobre: