InternetData CenterAssinante

A partida de Monge, o cara da figurinha 149

A partida de Monge, o cara da figurinha 149
Foto: Reprodução / Revista Bolão do Criciúma
Por Denis Luciano Em 02/05/2017 às 10:00

“Não havia figurinhas difíceis e os prêmios anunciados além de uma camionete Dodge 1951, vários outros como bicicletas, dominós, etc, e viagem a São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba e Porto Alegre sendo o melhor uma viagem ao Chile, para que o felizardo ganhador pudesse assistir ao Campeonato Mundial, onde estaria participando a Seleção Brasileira”.

Assim,  a edição de agosto de 1981 da revista Bolão do Criciúma anunciava o álbum que circulou em Criciúma em 1961, com os craques do futebol catarinense. Apareciam todos os times ali, entre os quais o Atlético Operário. Um fato deste final de semana chamou a atenção para o titular da figurinha 149. Tratava-se de Acione Avelino de Souza, o Monge.

“O Monge era um dos últimos sobreviventes daquele grande time do Atlético dos anos 80. Era sempre visto ali pela Santa Bárbara, e nos visitava muito nos tempos do União Mineira”, conta o radialista Reginaldo Corrêa, comentarista da Rádio Eldorado, ao saber da morte de Monge na manhã do último domingo, 30 de abril. Corrêa calcula que, daqueles craques, continuam entre nós somente Zequinha e Santinho.

Monge fez parte do Atlético que algumas vezes apareceu em nível estadual, no Campeonato Catarinense. Tempos difíceis, já que o Metropol começava a dominar em nível local e regional, e se alçava para ser o grande clube de Santa Catarina. O antigo atleta faleceu aos 73 anos, no Hospital São João Batista, tendo sido sepultado nesta segunda-feira. Ele deixou esposa e quatro filhos.

Leia mais sobre: