InternetData CenterAssinante

Consumo consciente: todos os negócios serão impactados

Lista de compras pode incluir novos itens e excluir tradicionais
Consumo consciente: todos os negócios serão impactados
Foto: Andressa Fabris
Por Andressa Fabris Em 14/08/2019 às 18:12

Não é de hoje que o tema sustentabilidade vem mexendo com o consumo. Já deixou de ser apenas uma ideia e se transformou em prática em milhares de casas e ambientes de trabalho. Em 2019, a Euromonitor apontou o consumo consciente como uma das 10 tendências globais. No mesmo relatório, outra tendência é definida como “quero meu mundo sem plástico”. 

 A tríade reciclagem, redução e reuso deu início a este movimento que evoluiu para outros comportamentos, como observar a procedência dos ingredientes de um produto e evitar aqueles  testados em animais. O consumo sustentável alcança todas as áreas da vida de uma pessoa, nenhum negócio está alheio a esta tendência.

 

Sustentabilidade no dia a dia

 

Reciclagem e reuso estão na vida da  organizadora de eventos Mércia Tiscoski desde a infância. “Minha mãe sempre nos educou com esse olhar”, conta. Em seu guarda-roupa, 30% das peças foram compradas; o restante veio das irmãs, mãe, amigas e presentes. Há oito anos, ela adotou a prática de reciclar todos os resíduos da casa. Mas foi no início deste ano que Mércia sentiui a necessidade de conhecer mais de perto a cadeia de reciclagem. “Parei para analisar e repensar meu consumo. Questionei cada item. Posso viver sem? Posso reduzir? Posso reutiliza-lo? E por fim, caso eu não conseguisse tomar uma ação com os meus questionamentos, o destino é o descarte dos resíduos para a reciclagem”, revela.

Dos próprios questionamentos, veio uma mudança em casa e na própria participação na sociedade. A relação entre sustentabilidade e consumo passou  a ser tema tão frequente na família de Mércia que o filho de 10 anos propôs um desafio: somente fazer nova compra de alimentos quando o freezer estivesse vazio. “Foi uma percepção dele, consciente e questionador perante aos nossos hábitos de consumo. Foi muito bom, fizemos a experiência, e percebemos com deixamos alimentos acumulados”, avalia Mércia. 

 

De casa para a sociedade

Ao ficar mais em contato com a reciclagem, a organizadora de eventos encontrou a Associação Criciumense de Catadores; o projeto Coleta Seletiva Solidária, da Unesc; e foi estendendo para outros ambientes o que fazia dentro de casa. Na Associação de Moradores do Bairro Comerciário, é diretora de Meio Ambiente e busca conscientizar os vizinhos sobre a responsabilidade de cada um no descarte de resíduos. Em seu prédio, todos os moradores participam da separação dos resíduos orgânicos, destinados à produção de adubo.

 

Mudança nas compras

Os cuidados de Mércia com o meio ambiente vão além da reciclagem e do apoio ao trabalho de catadores; mudaram a forma como ela escolhe os produtos do seu dia a dia. “Deixei de comprar alguns materiais de limpeza, de higiene pessoal e beleza que possuem ingredientes sintéticos nocivos e substitui por produtos ecologicamente sustentáveis. Desodorante, protetor solar, lava roupas e escova de dente, são alguns dos itens substituídos. Busco lojas sustentáveis, que possuem impacto sócio ambiental. Aumentei o consumo de produtos orgânicos. Tenho como orientação consumir produtos com menos embalagem possível, sendo o mais próximo do natural e mais saudável”, conta. 

A prática de Mércia resume como o consumo consciente vem gerando novos negócios e impactando alguns tradicionais. Foi para atender a esta demanda que o casal Thays Helena Deucher e Alexandre Possamai criou a Quitanda.com. Eles explicam que o estabelecimento não é uma loja de produtos naturais, mas um mercado saudável. Todos os novos itens incluídos na lista de compras de Mércia, como produtos de limpeza e higiene biodegradáveis, estão nas prateleiras deste mercado.

 

Saúde em primeiro lugar

Alexandre explica que o espaço foi criado pensando em saúde e a sustentabilidade acabou vindo junto. Thays conta que o casal precisou mudar a alimentação em função de problemas de diabetes de um e obesidade de outro. A partir da prática pessoal, criaram a Quitanda.com. A área da loja preferida deles são as bancadas de hortifruti. “Tudo é orgânico”, conta Thays.

Responsável pelas compras, Thays olha cuidadosamente as informações sobre ingredientes de cada produto e estuda as marcas antes de colocar algo à venda. Ela conta que os clientes da loja são pessoas que já têm hábitos sustentáveis. “Eles são engajados e sempre sugerem novos produtos.” Os copos de silicone livres de Bisfenol A (BPA), os itens de higiene pessoal e de limpeza são os mais procurados na Quitanda.com. “Os canudos também venderam bem no início, mas agora as pessoas já se deram conta de que não precisam de canudos”, aponta Thays, revelando que os hábitos do consumidor consciente mudam rápido e mesmo os negócios que parecem mais promissores podem declinar antes mesmo de decolar se o produto for dispensável.