InternetData CenterAssinante

Livro conta a história do projeto Anjos do Futsal

Edição traz depoimentos e informações sobre municípios parceiros
Livro conta a história do projeto Anjos do Futsal
Por Amanda Garcia Ludwig Em 12/12/2017 às 18:04

Promovido há 16 anos, o projeto Anjos do Futsal já mudou a vida de inúmeras crianças da região Sul de Santa Catarina. Toda a história do projeto foi registrada no livro Projeto Social Anjos do Futsal - O Esporte Como Educação Para a Vida, obra lançada neste fim de ano pela empresa Anjo Tintas – também responsável pelo projeto. O livro, escrito pela jornalista Fabricia de Pelegrin e editado pela Dois por Quatro Editora, tem 72 páginas.

O coordenador técnico do Anjos do Futsal, Jean Reis, explica que o projeto começou atendendo 60 meninos e adolescentes em Criciúma. “Atualmente está inserido em 19 municípios da Amrec e Amesc, com capacidade para atender 1.060 garotos distribuídos em 23 núcleos.”

Os municípios que recebem o projeto são Balneário Arroio do Silva, Balneário Gaivota, Balneário Rincão, Cocal do Sul, Criciúma, Ermo, Forquilhinha, Içara, Lauro Müller, Meleiro, Morro da Fumaça, Nova Veneza, Orleans, Praia Grande, São João do Sul, Sombrio, Treviso, Turvo e Urussanga.

A empresa Anjo Tintas é a responsável pela parte operacional do Anjos do Futsal, ou seja, distribui os materiais e uniformes utilizados e organiza a questão de inscrições e horários de treinamentos e competições. Em contrapartida, em Criciúma a Unesc é a parceira do projeto, e nos demais municípios a prefeitura é a responsável por ceder os profissionais que trabalharão com as crianças e pelo local de treinamento.

O diretor presidente da Anjo Tintas, Filipe Colombo, explica que o objetivo do projeto é oferecer uma maior qualidade de vida aos participantes e possibilitar que eles sonhem e tenham foco, praticando esporte.

“Tudo começou quando um profissional da empresa passou a ter problemas com seu filho e foi até o diretor Beto Colombo em busca de ajuda. Pensando em melhorar a vida tanto do garoto quanto das demais crianças que poderiam se envolver com problemas nas ruas, foi criado o Anjos do Futsal”, conta Colombo.