InternetData CenterAssinante

Impressões em 60 minutos - Nissan Kicks 2019

Fui conferir de perto o crossover da marca japonesa, um dos queridinhos do mercado
Impressões em 60 minutos - Nissan Kicks 2019
Foto: Vinícius Alexandre
Por Vinícius Alexandre Em 15/10/2019 às 19:53 - Atualizado há 3 semanas

Breve histórico

Nissan KicksSem sombra de dúvidas o Kicks é um carro que chegou com tudo no Brasil, com forte investimento em marketing. Talvez você, amigo leitor, não se lembre, mas ele desembarcou no país em 2016 com o status de carro oficial dos jogos olímpicos Rio-2016, evento que era patrocinado pela Nissan. 

Anos antes, lá em 2014, havia feito a sua primeira aparição no Salão do Automóvel de São Paulo ainda como conceito.

Tirando os modelos 2016, que foram trazidos do México, os demais a partir de 2017 são produzidos no complexo industrial da Nissan em Resende (RJ). E vale citar um fato curioso: no início da produção brasileira em 2017 houve um desabastecimento do modelo, que sumiu das concessionárias de todo país. O motivo? Caiu no gosto do consumidor e vendeu muito acima das estimativas, surpreendendo a própria fábrica, que teve que aumentar a produção para suprir a demanda.

Primeiras impressões

Passo então para a parte prática, e para fins de registro me acompanhou novamente o meu fiel (e corajoso! hahaha) "co-piloto" Eduardo, inabalável mesmo nas curvas mais fechadas. 

Limpinho de tudo, o Kicks nos esperava na concessionária e posso afirmar para você, leitor que assim como eu só havia visto o carro de longe, nas ruas: de perto ele fica menos imponente no tamanho, na imposição física, mas de forma inversamente proporcional, fica mais bonito. 

Sem titubear vou logo entrando no carro e após alguns breves instantes enquanto regulava bancos e retrovisores, preparando para partir, comento com Eduardo que gostei do interior e ele concorda comigo.

Começo hoje pelas impressões ao dirigir e então volto com mais detalhes externos e internos ao final, ok ? 

Trecho urbano

Saímos da concessionária pela avenida Centenário e após aquele distante retorno no Parque das Nações, seguimos em direção ao Pinheirinho, aproveitando o trânsito truncado para sentir a esperada vocação urbana do crossover, e ele não decepciona.

O carro conta com um motor 1.6 de 16 válvulas, casado com uma transmissão automática do tipo CVT. O conjunto é adequado para rodar com desenvoltura na cidade. Rodando em condições normais de tráfego, aceleração e velocidade, o motor é extremamente silencioso e é possível escutar levemente o ruído do atrito dos pneus com o asfalto, principalmente em imperfeições, mas nada que chegue a incomodar. É mérito do motor!

Talvez contribua um pouco para isso o fato de que o acerto da suspensão aparenta ser um pouco mais rígido e/ou, talvez possua amortecedores com um curso mais limitado, priorizando um desempenho mais próximo de carros com carroceria mais baixa - um sedã, por exemplo. Aliás, é possível que seja essa mesmo a ideia, um centro de gravidade mais baixo também, já que a impressão que tive é de estar sentado mais próximo ao solo.

Trecho rodoviário

Já com a ideia de um acerto mais rígido da suspensão martelando na cabeça, já conseguia prever um pouco qual seria o comportamento do carro nas curvas. "Vai ser legal de curva, firme e com pouco rolamento lateral, posso entrar um pouco mais forte”, eu pensava. 

Dito (pensado) e feito! 

A dianteira parece apontar bem nas curvas mais fechadas e embora a carroceria seja relativamente alta, com corpo estreito, ela não tomba muito (ou pelo menos não parece tombar, já que, repito, a impressão é estar sentado mais próximo do solo), o que torna o contornar das curvas algo mais divertido.

Já o desempenho é condizente com a proposta carro e capacidade cúbica do motor. Está longe de fazer feio e lembra bastante a desenvoltura do concorrente que participou do último teste, afinal ambos se utilizam praticamente do mesmo conjunto motor/câmbio, com um pouco menos de potência aqui em razão do comando variável apenas na admissão, compensado pelo menor peso.

Certamente é suficiente para retomadas sem sustos em situações de ultrapassagem e para carregar toda a família e bagagens com segurança, em uma viagem longa, por exemplo.

E por falar em segurança, o Kicks conta com todas aquelas sopas de letrinhas que consistem no aparato tecnológico que visam proporcionar mais controle e estabilidade sobre o carro. Embora não possua freio a disco nas quatro rodas ele freia muito bem e passa boa sensação de firmeza em freadas bruscas em curva, com boa atuação do conjunto eletrônico.

Visual e acabamento externo

De volta, paramos então para fazer as fotos e analisar melhor os detalhes do carro.

Bonitinho o bixo! As linhas são modernas, bem trabalhadas, prioriza ângulos ao invés de curvas amenas. Possui detalhes cromados destacando as maçanetas e principalmente a grade frontal. O conjunto óptico é, digamos, ousado, possuindo ressaltos que deixam a superfície irregular, marcando bem as linhas.

Arrematando o visual externo, um baludo conjunto de rodas de liga-leve aros 17, montados em pneus continental 205/55 e uma máscara cobrindo caixas de rodas e toda a parte inferior do veículo em toda a sua extensão.

Visual e acabamento interno

Nissan Kicks

Conforme adiantado lá no início desta publicação, me agradou bastante a parte interna do veículo, com design caprichado, utilização de materiais de qualidade e perfeito encaixe das peças. 

Gostei x Não gostei

Sensacional a câmera em 360 graus, que virtualmente simula uma imagem aérea do veículo. Virtualmente pois na realidade as câmeras estão montadas no logo da montadora fixado na grade frontal, na parte de baixo dos retrovisores laterais e na tampa traseira (sobre a placa), mas dada a engenhosidade das lentes olho de peixe e sincronização das imagens geradas, elas simulam quase que perfeitament

e uma imagem aérea. 

Não gostei do acabamento das portas, em especial na grande área plástica na parte superior. Acho que merecia algo mais caprichado seguindo o padrão do resto do carro, um detalhe em couro ficaria perfeito.

Nissan Kicks

O painel tem um desenho relativamente simples, seguindo uma linha mais conservadora eu diria, mas é bonito e de bom gosto. Gostei bastante do volante revestido em couro, de base achatada, e com tamanho aparentemente reduzido (legal também ao dirigir). Partindo da central multimídia para o lado direito do painel, o revestimento é também em couro preto com costuras brancas, se extendendo até a saída de ar.

No painel de instrumentos, mostradores digitais e também analógicos. O ar-condicionado, por sua vez, é digital e mescla controles giratórios e botões tradicionais.

O conjunto de bancos é um show à parte. Desenho bem trabalhado, bom suporte lateral principalmente no encosto, revestidos em couro preto com costuras brancas. 

 

Resumindo: Não é a toa a boa aceitação que o Nissan Kicks conseguiu no mercado nacional. Recomendo a você que visite o revendedor e faça também um test drive. Depois, vai lá nas nossas redes sociais e nos conte as suas impressões.

facebook.com/impressoesem60minutos

instagram.com/impressoesem60minutos

O carro foi gentilmente cedido pela concessionária Nissan Vip Car Criciúma.