InternetData CenterAssinante

Sindisaúde pede bloqueio de contas da OZZ e Governo do Estado; protesto acontece amanhã

Trabalhadores estão em greve desde terça-feira, dia 7
Sindisaúde pede bloqueio de contas da OZZ e Governo do Estado; protesto acontece amanhã
Foto: Divulgação
Por Thiago Hockmüller Em 09/09/2021 às 15:19

O Sindicato dos Trabalhadores dos Estabelecimentos em Saúde de Criciúma e Região (Sindisaúde) entrou com ação judicial solicitando o bloqueio de contas da empresa OZZ Saúde, administradora do serviço em SC, e também do Governo do Estado. Em greve desde a última terça-feira, dia 7, trabalhadores de Criciúma e Araranguá reivindicam reajuste salarial de 18,22% acumulado nos últimos quatro anos, além do pagamento de férias, Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e melhorias nas condições de trabalho. 

Ainda sem ter atenção da OZZ e do Estado, o movimento grevista planeja uma manifestação na manhã desta sexta-feira, dia 10, no Parque das Nações. “Será amanhã às 11 horas, em repúdio ao Governo do Estado e OZZ que ainda não se manifestaram sobre a situação”, esclarece o presidente do Sindisaúde, Cleber Ricardo da Silva Cândido.  

Após a manifestação, os trabalhadores devem debater o futuro da greve. Novamente estará em pauta a redução do efetivo ou a continuidade da paralisação de 50% da categoria. “Ou encerrar a greve”, explica o líder sindical. “O que nos preocupa é que se tiver que reduzir mais (o efetivo) podemos levar mais prejuízos para a população. E os profissionais podem receber sanções pelos conselhos e estão preocupados”, alerta. 

O piquete está montado em frente ao 9° Batalhão de Polícia Militar (9° BPM), onde está a central de regulação. Um dos motivadores da greve é a decisão da empresa OZZ Saúde de recorrer da decisão da 2ª Vara do Trabalho de Criciúma, que condenou a empresa ao pagamento, com juros e correção monetária, de verbas trabalhistas atrasadas, entre elas as diferenças salariais no período de novembro de 2018 e maio de 2019, com reflexos em horas extras, adicional noturno, férias, décimos terceiros e depósitos de de FGTS.