InternetData CenterAssinante

Projeto de construção da réplica da Ponte Hercílio Luz em Siderópolis ainda não saiu do papel

Atual gestão do município quer dar continuidade na parceria com a Defesa Civil estadual
Projeto de construção da réplica da Ponte Hercílio Luz em Siderópolis ainda não saiu do papel
Foto: Divulgação/Prefeitura de Siderópolis
Por Lucas Renan Domingos Em 19/07/2021 às 15:33

No dia 31 de agosto de 2020 o então prefeito de Siderópolis, Hélio Cesa, anunciou que Siderópolis ganharia um novo atrativo turístico. Estava para ser construída no município uma réplica, em proporções menores, da Ponte Hercílio Luz, cartão postal de Santa Catarina e que liga a ilha de Florianópolis ao continente catarinense. O prazo era de que a obra ficasse pronta em até 120 dias – dezembro de 2020. Quase um ano depois, a intenção permanece apenas no papel.

É que a nova ponte seria erguida em um convênio com a Defesa Civil de Santa Catarina com a Prefeitura de Siderópolis. O município seria responsável por construir as cabeceiras e sapatas da estrutura, enquanto o Estado instalaria a estrutura metálica, formada por peças utilizadas na sustentação da revitalização da Ponte Hercílio Luz, na Capital.

“O projeto acabou não seguindo na gestão anterior. Em janeiro, quando o prefeito Franqui Salvaro assumiu a prefeitura, tivemos que reeditar todos os pedidos para a Defesa Civil. Além da réplica da Ponte Hercílio Luz, há outras pontes no município que também seriam construídas com as peças metálicas", explicou o assessor de gabinete de Franqui Salvaro, Romildo Soares.


Em agosto de 2020, equipe da Defesa Civil de Santa Catarina vistoriou o local e autorizou o início da parceira com o município - Foto: Flavio Vieira Junior/DCSC

O coordenador regional da Defesa Civil, Rosinei da Silveira, aponta que o processo precisou ser reiniciado, já que a gestão municipal anterior, por não conseguir executar as obras das cabeceiras, encaminhou um ofício para a Defesa Civil do Estado pedindo a paralisação do processo. "A nova gestão voltou a apresentar interesse no convênio. Então começamos a trabalhar na reformulação das documentações. Na semana passada, a coordenadoria municipal da Defesa Civil entregou o último documento. Agora vamos fazer uma nova vistoria no local para retomar o processo", disse.

O custo da obra pode atrasar a construção da réplica. “Fazer as cabeceiras e as sapatas é um trabalho de engenharia complexo, então o valor é alto. A estimativa é de que tenhamos que gastar algo em torno de R$ 1 milhão. Para o caixa do município é uma quantia grande, então a gente precisaria buscar novos recursos. A réplica seria algo mais voltado ao turismo, porém, no momento, há outras prioridades”, acrescenta Soares.

Mesmo assim, a Prefeitura de Siderópolis segue com a intenção de erguer o novo ponto turístico. “O prefeito Franqui Salvaro quer dar continuidade. Estamos regularizando as documentações com a Defesa Civil. Após isso, vamos pensar nos recursos. Hoje não temos um prazo de quando a obra deva sair. Inclusive estamos revisando as pontes que temos para revitalizar com as estruturas metálicas e estamos substituindo algumas que julgamos serem mais prioritárias”, completa o assessor.

O projeto prevê que a nova estrutura seja erguida sobre o rio São Bento, na rodovia Municipal SID-157, na comunidade de Costão da Serra/São Pedro. Após ficar pronto, o local deve não só virar um ponto de visitação, mas também um caminho para fomentar o turismo do município. O trecho serve como ligação para o Instituto Felinos do Aguaí e para os Caminhos dos Tropeiros. Ao ser concluída, a nova ponte terá capacidade para suportar 45 toneladas.