InternetData CenterAssinante

Federação dos Mineiros busca reunião com Carlos Moisés para tratar da importância do carvão

Genoir dos Santos falou na manhã desta quinta-feira, dia 14, sobre o tema
Federação dos Mineiros busca reunião com Carlos Moisés para tratar da importância do carvão
Foto: Arquivo/Agência AL
Por Rafaela Custódio Em 14/10/2021 às 10:22

A Federação dos Mineiros do Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina (Fetiec) está buscando uma reunião com o governador de Santa Catarina, Carlos Moisés. O objetivo é tratar da importância do carvão para o estado catarinense e também falar sobre o Projeto de Lei (PL) 270/2021 que o Poder Executivo encaminhou à Assembleia Legislativa propondo a criação de uma política estadual voltada ao carvão mineral catarinense. Atualmente o projeto está sob análise de comissões. 

"Ontem tivemos uma reunião com a cadeia produtiva do carvão, ou seja, com os trabalhadores de Lauro Müller, Siderópolis, Urussanga e Criciúma e também com os profissionais ferroviários e eletricitários. A intenção é mostrar a importância do setor carbonífero. Uma outra ação é buscar uma reunião com o governador Carlos Moisés e pedirmos apoio", destacou o presidente da Fetiec, Genoir dos Santos, em entrevista ao jornalista João Paulo Messer, da Rádio Eldorado. 

Segundo Santos, são três mil trabalhadores ligados à mineração na região. "É uma atividade que gera emprego e arrecada impostos para os municípios.  É um setor que movimenta R$ 5 bilhões por ano. É uma atividade muito importante para a sociedade e não podemos abrir mão. Os trabalhadores estão preocupados e precisamos que essa lei seja aprovada", pontuou.

Entenda o projeto 

Denominada Política Estadual de Transição Energética Justa do Estado de Santa Catarina, a medida também cria o Polo de Transição Energética Justa do Sul do Estado de Santa Catarina, com foco na região carbonífera, em especial nos municípios de Capivari de Baixo, Imbituba, Jaguaruna, Orleans e Tubarão. Este polo, conforme o texto do projeto de lei, contará com dois programas específicos, um voltado à economia (Prosul/SC) e outro à recuperação ambiental de áreas degradadas (Pradsul/SC).

O objetivo principal da política é possibilitar que, no longo prazo, a economia da região carbonífera não seja dependente da exploração desse mineral. Para isso, várias iniciativas estão previstas, tais quais o apoio a investimentos produtivos em pequenas e médias empresas, a criação de novas empresas, o incentivo à requalificação dos trabalhadores, a assistência na procura de emprego e o desenvolvimento de programas de inclusão ativa de candidatos a emprego. Ações voltadas à reabilitação ambiental e ao incentivo do uso de fontes de energia limpa também estão previstas.

Leia mais sobre: