InternetData CenterAssinante

Volta à discussão a troca da Coopera pela Celesc no fornecimento de energia de bairros em Criciúma

Segundo Tita Beloli, Aneel autorizou a substituição; vereadores irão questionar
Volta à discussão a troca da Coopera pela Celesc no fornecimento de energia de bairros em Criciúma
Foto: Divulgação
Por Lucas Renan Domingos Em 25/05/2020 às 18:20

Volta à pauta em Criciúma a discussão da troca da Coopera pela Celesc como fornecedora de energia em bairros do município. O assunto já foi tema de Audiência Pública em 2018 e retornou a ser assunto na Câmara de Vereadores de Criciúma nesta segunda-feira, dia 25. O vereador Tita Beloli informou que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) reconheceu que a Coopera transfira os clientes para a Celesc.

A grande questão está no preço. O valor da tarifa cobrada pela Coopera é 40% mais barata do que o preço do fornecimento da Celesc. São 2 mil consumidores em Criciúma que possuem atendimento da cooperativa e que lutam para que a troca não ocorra.

“Nós não aceitamos e vamos continuar não aceitando. Nada contra a Celesc, mas é direito do consumidor de comparece na Coopera. É uma das energias mais baratas do Brasil e as pessoas que assinaram o contrato de cooperado têm o total de direito de ficar onde estão. Por que agora passar para a Celesc?”, questionou o vereador.

Uma reunião nesta semana será realizada para retomar a discussão e tentar reverter a decisão da Aneel. “Estão fazendo agora porque não podemos nos reunir? Neste momento de crise, momento que todas as pessoas estão passando por momento difícil, contando o salário para pagar as contas. E agora vem mais essa? E as pessoas que assinaram os contratos? Várias pessoas pagaram os postes, colocaram a rede e agora passa para a Celesc, sem satisfação? Tem que ter respeito com o consumidor”, concluiu Beloli.