InternetData CenterAssinante

Salvaro: 'Entre os 23 pés de eucalipto e as 300 crianças que vão ficar no CEI, fizemos uma escolha'

Em visita ao CEI na Próspera, prefeito de Criciúma falou sobre o corte de árvores
Salvaro: 'Entre os 23 pés de eucalipto e as 300 crianças que vão ficar no CEI, fizemos uma escolha'
Foto: Jessica Rosso
Por Jessica Rosso Em 07/02/2020 às 17:21

Nesta sexta-feira, dia 7 de fevereiro, o prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro, durante uma apresentação informal do novo CEI Lino Pizetti, falou a respeito do corte de árvores que aconteceu em frente à instituição de ensino, que fica localizada na Praça da Chaminé, na Próspera. Ao todo 23 pés de árvores da espécie eucalipto foram cortadas no local. Salvaro disse que a decisão de retirar as árvores daquele local foi uma escolha que teve o intuito de previnir desastres futuros. Ele afirmou que as árvores eram um risco para as 300 crianças que serão atendidas em período integral do Centro de Educação Infantil (CEI) da Associação Feminina de Assistência Social de Criciúma (Afasc). 

"Atraíam raios, entopiam as calhas, havia o risco de quebrar galhos que poderiam cair sobre as crianças. Entre os 23 pés de eucalipto e as 300 crianças que vão ficar no CEI fizemos uma escolha. É um ato de sanidade mental. Irresponsável seria deixar os pés de eucalipto e talvez um raio poderia cair e matar centenas de pessoas (crianças, pais e funcionários). Salvaro ainda deixou claro que a decisão não poderia ser outra. "Basta o cérebro ser do tamanho de uma ervilha para entender essa escolha", ressaltou. 

No último domindo a Prefeitura Municipal de Criciúma emitiu uma nota oficial esclarecendo a situação. O comunicado cita a Lei que diz que as plantas (eucalipto) que estavam no local não necessitavam de "autorização junto ao órgão ambiental municipal para serem cortadas. A planta não pertence à flora natural da região de Criciúma". A nota também informa que serão plantadas no local plantas da espécie ipê-amarelo e ipê-rosa. No local, trabalhadores continuam revitalizando a entrada do CEI que será inaugurado na próxima terça-feira, dia 11, às 18 horas. 

Confira a nota oficial (do Governo) que foi veiculada no dia 02/02/2020 no Portal Engeplus:

O Governo de Criciúma, por meio da Fundação do Meio Ambiente de Criciúma (Famcri), esclarece que, devido ao risco de queda, árvores da espécie eucalipto, que estavam podres, foram extraídas da Praça da Chaminé, no bairro Próspera. Os eucaliptos são árvores exóticas, não pertencem à flora natural da região de Criciúma e poderiam, na Praça da Chaminé, causar danos aos moradores e às 350 crianças do Centro de Educação Infantil (CEI) da Associação Feminina de Assistência Social de Criciúma (Afasc), que será inaugurado neste mês no local.

O governo municipal informa, ainda, que árvores nativas da espécie ipê-amarelo e ipê-rosa serão plantadas na Praça da Chaminé a partir dos próximos dias. A Prefeitura de Criciúma também revitalizará o paisagismo da praça e modernizará o sistema de iluminação pública com a instalação de lâmpadas de LED, que proporcionará mais conforto e segurança aos munícipes que frequentam o local.

A Administração Municipal reitera que o corte dos eucaliptos foi fiscalizado por profissionais da Famcri e que, no município de Criciúma, de acordo com a lei municipal n° 7.245, de 28 de junho de 2018, em casos de cortes de árvores das espécies eucaliptos e pinus, não é necessária a obtenção de autorização junto ao órgão ambiental municipal, exceto quando se tratar de Área de Preservação Permanente (APP), Área de Proteção Ambiental (APA) ou Zona de Área de Proteção Ambiental (Z-APA).