InternetData CenterAssinante

Robótica estimula cultura Maker nos alunos do Colégio Satc

Ferramentas impulsionaram a prática do “faça você mesmo” nas crianças e jovens
Robótica estimula cultura Maker nos alunos do Colégio Satc
Foto: Divulgação
Por Redação Engeplus Em 14/01/2020 às 22:33

O ano de 2019 foi recheado de inovação e tecnologia na Satc. E uma área muito ligada a isso é a robótica, presente na disciplina de Tecnologias Aplicadas e na Escola de Talentos. Os estudantes desenvolveram projetos e aprenderam construir objetos com as próprias mãos. Não é à toa que eles participaram da Olímpiada Brasileira de Robótica (OBR), em nível estadual e nacional.

Nas turmas de 9º ano, os alunos realizaram uma competição de carrinhos. Nesta atividade, foi trabalhado eletrônica, chassi, programação e a plataforma Arduino. A tecnologia estava na mão deles. “Usando o bluetooth, o robô recebe informações do celular e eles conseguem dar os comandos por ali”, explica o professor Guilherme Cardoso Cruz.

Outro trabalho que segue na mesma linha é o “Futebol de Robôs”. Os alunos fizeram robôs com blocos de montar ligados ao Arduino. Depois fizeram uma mesa de futebol onde colocaram os pequenos jogadores. Eles podiam controlar os robôs por meio de tablets.

Os professores Douglas de Olindo e Daniela Silva Scotti trabalharam o projeto “Dançando com os robôs” com as turmas de 8º ano. Nesta atividade, os estudantes estudaram eletrônica, compressão e solda de fios e led. O objetivo era construir robôs utilizando materiais recicláveis. Depois de construídos, os alunos escolheram músicas de cada região do Brasil para realizar apresentações de dança.

“Inicialmente, os alunos ficaram apreensivos com a proposta, não imaginavam que tinham a capacidade de fazer tudo aquilo. Também teve a questão da vergonha, mas fazer a apresentação e ver o que tinham construído ajudou na desenvoltura deles”, conta Daniela. A atividade estimula o lado artístico e tem como base a cultura Maker, “faça você mesmo”.

Matheus Pacheco é um dos estudantes que fizeram o projeto. “A gente começou pela montagem dos robôs. O primeiro só mexia os braços. Depois a gente fez outro que fica em cima de uma plataforma e dançava”, relata. Matheus também participou da Olímpiada Brasileira de Robótica (OBR). Lá, os estudantes tinham que construir robôs para superar obstáculos e capturar bolinhas.

Áreas para todos os gostos

A robótica envolve raciocínio lógico, criatividade e autonomia. Os estudantes passam por todas as etapas da construção de um robô. É assim que eles descobrem a área que mais gostam. “Vem desde pequenos aprendendo programação, eletrônica e Arduino para depois no ensino médio, cada equipe fazer o seu projeto”, destaca a coordenadora das Tecnologias Aplicadas, Andreia Mariot Scarduelli.

O estudante Vitor Muneretto Tinelli já tem em mente a área da robótica que mais se identifica. “Eu gosto bastante de usar o computador. Tinha um programa, o Tinkercad, que a gente construía um circuito com led. Depois o professor foi complicando o trabalho e nós tínhamos que acender vários leds”, ressalta.

Leia mais sobre: