InternetData CenterAssinante

Profissionais de eventos farão manifestação no Parque das Nações nesta terça-feira

Grupo pede a autorização para a retomada das atividades de todo o setor
Profissionais de eventos farão manifestação no Parque das Nações nesta terça-feira
Foto: Divulgação
Por Lucas Renan Domingos Em 21/09/2020 às 08:23

O Governo de Santa Catarina publicou na última sexta-feira, dia 18, uma portaria onde define regras para a retomada de eventos sociais como casamentos, formaturas, aniversários e demais confraternizações com lista de convidados. Mas as confraternizações só poderão ocorrer em regiões que estão classificadas com risco potencial alto (cor amarela) ou moderado (cor azul), que não é o caso da Associação dos Municípios da Região Carbonífera (Amrec), que atualmente está na classificação grave (cor laranja). Eventos com venda de ingressos como casa noturnas e shows, por exemplo, não foram contemplados pela nova portaria. 

O setor de eventos é mais um dos pacotes de atividades econômicas que foram afetados pela pandemia e um dos poucos que ainda não havia sido liberado para retomar os serviços. Diante da situação, profissionais do ramo de eventos de Criciúma e região farão um protesto na tarde desta terça-feira, dia 21. A manifestação está sendo organizada e um ofício será encaminhado para a prefeitura e Polícia Militar (PM) solicitando a permissão para a realização do ato. O grupo irá se encontrar no Parque das Nações.

"Estamos desde março sem expectativa de retomada, esperando dia após dia. Já vínhamos organizando esta manifestação há algum tempo, com todos os cuidados e percebemos que a hora da gente se posicionar é agora. Hora de irmos à rua e pedir respeito para nós que trabalhamos com eventos. Respeitamos o decreto, respeitamos a espera, mas queremos ser ouvidos", destacou uma das organizadoras do protesto e empresária do ramo de festas e locações, Daiane Savi

A manifestação iniciará no Parque das Nações e percorrerá até o Terminal Central de Criciúma. O tema já foi discutido em outras oportunidades. A empresária e outros investidores do ramo chegaram a ir a Florianópolis, onde se reuniram com a Secretaria de Estado da Saúde (SES) para criar um modelo de regramento de retomada. O documento foi alterado e reencaminhado ao Governo de Santa Catarina, mas nem todos os modelos foram incluídos na portaria publicada recentemente. 

"Quando a gente chegar aqui na classificação amarela, alguns setores já poderão retornar as atividades, conforme determinou a portaria, mas e aquelas empresas noturnas? Quando poderão? Como conseguirão se manter e até quando vão conseguir se manter? Por mais que somos vários setores dentro do ramo de eventos e entretenimento, não podemos deixar nenhum de fora. Todos precisaamos continuar com nossas atividades e gerar renda. Algumas empresas encerraram suas atividades, outras demitiram e outras se reinventaram. Mas percebemos o quanto somos importantes e fizemos a diferença na vida de alguém, trazendo alegria, lazer e entretenimento", destacou a empresária. 

Ela acredita que é possível retomar os eventos recriando medidas sanitárias. "Estamos em um novo normal, mas não podemos ficar parados. Temos que retomar os trabalhos com cuidados. Assim como existe possibilidade de funcionamento para bares, restaures e afins, existe, sim, para eventos, respeitando regras, respeitando protocolos", pontuou Daiane.