InternetData CenterAssinante

Primeira ala da Casa de Saúde do Rio Maina deve ser entregue até o dia 10

Local servirá como retaguarda para tratar casos de Covid-19
Primeira ala da Casa de Saúde do Rio Maina deve ser entregue até o dia 10
Foto: Thiago Hockmüler / Portal Engeplus
Por Thiago Hockmüller Em 30/03/2020 às 12:49

A Casa de Saúde do Rio Maina passa desde o último sábado, dia 28, por uma reforma emergencial. O local vai abrigar leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) que serão utilizados por pacientes de Covid-19.

Nesta segunda-feira, dia 30, equipes da Prefeitura e da Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc) atuam de forma acelerada. A expectativa é que a primeira ala, com cerca de mil metros quadrados, seja entregue até o dia 10 de abril.

A obra emergencial contempla a substituição do telhado, melhorias no forro, piso, pintura e vidros. “Estamos preparando o ambiente e, por isso, estamos com a equipe da Prefeitura de Criciúma, com a parte técnica da Saúde e construção civil. Neste sábado, já vamos começar a mexer no telhado e vamos preparar o hospital que tem quase 200 leitos. O local servirá de retaguarda para as pessoas contaminadas de isolamento e também, se necessário, da Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Estamos deixando o hospital em condições para atender pessoas que forem contaminadas. O que temos na área Central não dará conta”, afirmou o prefeito Clésio Salvaro, no último sábado.

Durante a entrevista, Salvaro alertou para o pico de casos na Capital do Carvão. A estimativa é que o número de casos avance rapidamente entre os dias 10 e 15 de abril. “Não sou médico e nem cientista, mas os especialistas apontam que o pico será entre os dias 10 e 15 de abril. Será nesse período que vamos precisar de leitos. Nós vamos deixar isso tudo pronto e torcendo para que não precisemos usar, e peço que as pessoas fiquem em casa”, explicou.

Neste momento acaba de chegar no local uma carga com telhas encaminhada pela empresa Imbralit. No total, a Imbralit doou 2,5 mil telhas para a reforma.

Leia mais sobre: