InternetData CenterAssinante

Prefeito pede que população de Criciúma não saia de casa até o dia 31

Salvaro participou de uma videoconferência com prefeitos de diversas regiões do Estado
Prefeito pede que população de Criciúma não saia de casa até o dia 31
Foto: Lucas Renan Domingos
Por Rafaela Custódio Em 26/03/2020 às 10:18

Nessa quarta-feira, dia 25, os 15 prefeitos da maiores cidades de Santa Catarina participaram de uma reunião por videoconferência para tratar do coronavírus no Estado. Entre eles, o chefe do Poder Executivo de Criciúma, Clésio Salvaro. O principal tema da conversa foi para debater as ações do governador do Estado, Carlos Moisés

“Discutimos que o governo federal não tem falado com os governadores e no nosso caso, o governador [Carlos Moisés], não tem dialogado com os prefeitos e tem tomado decisões escutando apenas algumas pessoas. Quem cumpre as decisões lá na ponta são os municípios e onde as pessoas vivem”, afirmou em entrevista ao jornalista João Paulo Messer, da Rádio Eldorado. 

Salvaro ressalta que em Criciúma, o governo municipal está fazendo o máximo dentro dos limites e condições da cidade. “As pessoas estão ficando em casa, mas aos poucos estão voltando. Queremos alinhar a conversa com o governador do Estado e esse foi o propósito da videoconferência”, relatou. 

O prefeito de Criciúma pediu que o próximo decreto estabelecido pelo governador de Santa Catarina precisa estar alinhado com os prefeitos. Além disso, ele ressaltou que os testes rápidos serão utilizados neste primeiro momento em profissionais da saúde. “Vamos testar todos os 220 mil habitantes que é a população de Criciúma e será que isso terá eficiência? E quantas pessoas já pegaram o vírus e não possuem sintomas? Quantas pessoas vão pegar o vírus e não terão sintomas? Todos querem as mesmas coisas, mas falam de forma diferente. Nós não queremos perder nenhuma vida e também não queremos perder nenhuma empresa. Se no próximo decreto não tiver alinhado com os prefeitos não será realizado pelo município de Criciúma, nós estamos fazendo o melhor que podemos, mas queremos buscar o alinhamento”, declarou. “Compramos mil testes rápidos e serão para profissionais da saúde neste primeiro momento”, acrescentou.

Salvaro ainda comentou que foi solicitado uma reunião com o governador Carlos Moisés. “Liberar tudo depende do decreto do governador. Pedimos uma audiência com ele e aguardamos para hoje ou amanhã. A equipe da Prefeitura Municipal está se preparando e as aulas poderão retornar a partir do dia 1º de abril e sempre visando o grupo de risco. Se você libera a indústria precisa liberar a creche para as mães deixarem as crianças, pois uma coisa está ligando a outra”, analisou. 

O prefeito de Criciúma ainda ressaltou que será necessário um equilíbrio para que o município não registre mortes e também perdas na economia. “Temos que deixar as pessoas isoladas quem faz parte do grupo de risco. A busca pelo equilíbrio para não perdermos vidas e empregos é a pauta constante de qualquer gestor público. Não adianta liberar o ônibus se o comércio estiver fechado e as indústrias também. Temos que ir conferindo com responsabilidade", finalizou.