InternetData CenterAssinante

PM reforça a orientação para população obedecer ao isolamento social

Nessa terça-feira, Jair Bolsonaro pediu fim do
PM reforça a orientação para população obedecer ao isolamento social
Foto: Reprodução
Por Lucas Renan Domingos Em 25/03/2020 às 17:03

O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, defendeu eu seu último pronunciamento, na noite dessa terça-feira, dia 24, que governos estaduais e municiais “devem abandonar o conceito de terra arrasada, a proibição de transportes, o fechamento de comércios e o confinamento em massa”. O pedido de Bolsonaro não altera, no entanto, nenhuma medida tomada pelo Governo de Santa Cataria. As normas de isolamento social vigentes no Estado seguem valendo a as forças de segurança mantêm as fiscalizações.

O comandante do 9º Batalhão de Polícia Militar (9º BPM), de Criciúma, tenente-coronel Cristian Dimitri, reforçou que a população siga obedecendo ao decreto estadual. “Seguimos firme na fiscalização do decreto 525 do Governo do Estado de Santa Catarina. Estamos repassando orientações para as pessoas para que evitem espaços públicos, como praças e parques e saiam de casa somente para o necessário, como ir ao mercado, farmácia e até mesmo dando informações para funcionários de empresas. O decreto contempla a situação das indústrias, que podem trabalhar com até 50% dos seus colaboradores”, disse

Na tarde desta quarta-feira, dia 25, Dimitri afirmou que na região de atuação do 9º BPM, as medidas estão sendo seguidas pela população sem maiores problemas. “A comunidade de Criciúma e região tem obedecido ao decreto. As informações que temos é de que todos os dez setores de policiamentos que temos e em nossas 171 Redes de Vizinhos, além dos Conselhos de Segurança, que as coisas estão em sintonia”, pontuou.

Denúncias averiguadas

O comandante lembrou ainda que todas as denúncias de qualquer descumprimento do decreto estão sendo apuradas pelas guarnições da PM. Os relatos chegam por meio do telefone 190 e também pelo aplicativo PMSC Cidadão.

“Continuamos analisando o cumprimento dos termos da norma. Se não tiver tendo o efeito, em primeiro momento ocorre uma advertência, feita uma notificação. Se houver uma reincidência uma interdição do estabelecimento, sem prejuízo as medidas administrativas e penais”, destacou dimitri.