InternetData CenterAssinante

Pesquisa avalia retorno das aulas presenciais em Urussanga

Pesquisa deve ser respondida até o dia 14 de julho
Pesquisa avalia retorno das aulas presenciais em Urussanga
Foto: Divulgação
Por Redação Engeplus Em 09/07/2020 às 14:33

A secretaria de Educação de Urussanga, por meio da direção de cada unidade escolar, está encaminhando às famílias dos estudantes da rede municipal de ensino uma pesquisa que tem como objetivo avaliar o retorno das aulas presenciais. A proposta foi definida pelo colegiado de Educação e está sendo realizada por todos os municípios da Associação dos Municípios da Região Carbonífera (Amrec).

Segundo a secretária de Educação, Janea Possamai, a pesquisa deve ser respondida até o dia 14 de julho. Os dados serão compilados na próxima quarta-feira, dia 15. “Depois disso será enviado à Amrec e na sexta-feira, dia 17, nos reuniremos para traçar os novos encaminhamentos sobre o retorno ou não das aulas presenciais”, explica.

O questionário entregue aos pais é composto por 25 questões que avaliam a maior preocupação com a criança/adolescente ao retornar para a unidade escolar; se o aluno apresentou alguma alteração no comportamento neste período de distanciamento social; e como deve ser feita a reposição do calendário escolar.

“Estas respostas nos darão o norte de como proceder. A participação de todos é importante uma vez que estamos juntos nesta situação delicada que o mundo inteiro enfrenta”, destacou Janea.

Calendário 2020

O colegiado de secretários municipais de Educação da Amrec também está elaborando o Plano Territorial de Reorganização do Calendário Escolar 2020, com o intuito de preparar as atividades escolares presenciais de maneira antecipada ao retorno. 

“Uma das etapas deste levantamento é avaliar a real situação dos profissionais da educação no que diz respeito aos integrantes dos grupos de risco, pois devemos seguir as orientações de mantê-los afastados ou reordenar suas funções enquanto a pandemia durar”, esclarece a secretária de educação de Urussanga.

Esta pesquisa com os profissionais da educação é composta por três etapas: Autodeclaração; Comprovação das comorbidades indicadas na autodeclaração por meio de consulta ao médico de trabalho (aos que ainda não comprovaram) até o dia 30 de julho; e o reordenamento das funções de forma emergencial enquanto durar a pandemia. 

O questionário conta com 21 perguntas. Entre elas, quais dificuldades (emocional, financeira, profissional) o profissional está enfrentando neste momento de pandemia do novo coronavírus; se há problemas de saúde pré-existentes, entre outras questões pertinentes à pandemia e ao retorno presencial das atividades escolares.