InternetData CenterAssinante

Nícola Martins deixa a presidência da FME de Criciúma

Ele dirigiu a Fundação Municipal de Esportes desde dezembro de 2018
Nícola Martins deixa a presidência da FME de Criciúma
Foto: Thiago Hockmüller/Arquivo Engeplus
Por Rafaela Custódio Em 30/03/2020 às 08:49

A Fundação Municipal de Esportes de Criciúma (FME) não será mais dirigida por Nícola Martins. Ele deixa o cargo nesta terça-feira, dia 31, após 477 dias de comando e focar em novos projetos a partir de agora. O diretor administrativo da FME, Marco Antonio Cimolin, deve assumir a gestão. 

“Pudemos implantar um novo jeito de fazer gestão do esporte em Criciúma, mais próximo, mais presente, ouvindo e agindo onde realmente era necessário. Trabalhamos na linha do que o prefeito Clésio Salvaro orientou. Fizemos um controle financeiro rígido na FME, que nos permitiu elencar prioridades e cortar alguns custos, nos levando a trabalhar para deixar alguns legados”, pontua. 

Martins ressalta que o principal projeto na sua gestão foi a presença ao lado dos atletas, pais e técnicos. “Torcemos juntos, comemoramos juntos, ficamos chateados com as derrotas juntos. Cada momento vivido foi único. E junto a isso criamos a Rua da Gente, os Jogos Entre Empresas, motivamos o Colegiado de Gestores do Esporte da Amrec [Associação dos Municípios da Região Carbonífera], o prêmio dos Melhores do Esporte, o Xadrez na Praça, o Tour Esportivo, adquirimos novos veículos, compramos novos colchões, estabelecemos o seguro aos atletas, adquirimos novos agasalhos, fizemos reuniões com os país antes das competições, algo inédito na história da FME”, acrescenta. 

 “Foi a melhor experiência da minha vida na área de gestão. Pude trabalhar a gestão como um todo e saio feliz e satisfeito. Agora, vou ficar como um técnico que não pode estar em quadra, torcendo para todo o trabalho realizado com a equipe dar certo e seguir em frente”. 
Nícola Martins 
------------

Martins ainda explica que foi a primeira experiência com gestão esportiva em sua carreira. “Não quero abandonar essa área nunca mais. O esporte é muito gratificante. O carinho dos pais, dos técnicos, dos atletas. É um setor muito bom de se trabalhar”, analisa.

Ele cita que FME já vinha numa transformação desde 2017, principalmente na reorganização interna, porém sua gestão conseguiu trazer ainda mais melhorias. “Em 2019, demos o salto de reavivar um espírito de representar Criciúma. Alguns técnicos e atletas me falaram que reacendeu no coração deles o orgulho de representar a cidade. Isso não tem preço”, afirma. 

Martins ressalta que algumas coisas precisam ser melhoradas ainda. “É necessário consolidar o Sistema Municipal de Esporte. Temos Fundo Municipal de Esportes, mas não temos Conselho e nem Plano Municipal. Isso é necessário para buscarmos ainda mais recursos. É necessária a estruturação de um setor de captação de recursos autorizados a serem captados pela Lei de Incentivo ao Esporte, por exemplo”, comenta.

O gestor da FME ainda agradece aos técnicos e atletas. “Eles são a razão de existir da Fundação Municipal de Esportes. Enquanto existir uma criança com vontade de praticar esporte, existirá um motivo para a FME lutar. Esse é o caminho”, finaliza.

Leia mais sobre: