InternetData CenterAssinante

Nasf: atendimento domiciliar auxilia na recuperação dos pacientes

Regiões do Rio Maina, Próspera, Boa Vista, Santa Luzia e Centro possuem o serviço
Nasf: atendimento domiciliar auxilia na recuperação dos pacientes
Foto: Divulgação/Decom
Por Redação Engeplus Em 29/01/2020 às 13:32

Proporcionar um atendimento humanizado e respeitar as necessidades de cada paciente é o objetivo do Núcleo Ampliado de Saúde da Família (Nasf), da Secretaria Municipal de Saúde de Criciúma. Os pacientes acamados e domiciliados que não podem se deslocar até uma Unidade Básica de Saúde (UBS), têm direito a receber atendimento em casa. O serviço conta com equipes multiprofissionais em todas as cinco regiões da cidade e os atendimentos são realizados por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).

Segundo o secretário municipal de Saúde, Acélio Casagrande, os serviços do Nasf são oferecidos nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) do Rio Maina, Santa Luzia, Próspera, Boa Vista e Centro. “As atividades compreendem a promoção da saúde, mantendo uma vida saudável, não só quando se está doente, mas também na prevenção”, salientou.

De acordo com o coordenador da Atenção Básica, Leandro Maffei, os profissionais dos núcleos também formam grupos de exercício físico e grupos operativos. “Quem precisar dos serviços do Nasf deve procurar a sua unidade de saúde para solicitar o atendimento”, afirmou.

Atendimentos especializados

Os núcleos permitem que os usuários do SUS tenham acesso à fisioterapeuta, educação física, psicólogo, nutricionista e farmácia. Para atendimentos domiciliares, os profissionais vão até a casa dos pacientes fazer a avaliação e ver o que é necessário para dar continuidade no tratamento.

“Como o Nasf é um apoio, a gente orienta os familiares, os cuidadores no dia a dia o que se deve ser feito e marcamos o retorno conforme a gravidade da patologia. Temos pacientes que visitamos semanalmente, quinzenalmente, mensalmente, sempre dando o vínculo que é o apoio, que é a comunicação direta com o cuidador com as enfermeiras com os familiares”, explicou o fisioterapeuta do Nasf, Douglas José Nazário.

Patologias neurológicas (como AVC), ortopédicas, acidente de trabalho, fratura, pós-operatório de coluna e de joelho são alguns dos exemplos de doenças que a fisioterapia ajuda na recuperação. “A partir do momento que o paciente já começa a ter condições de ir na clínica conveniada, já é encaminhado para esse serviço”, ressaltou Nazário.

Colaboração: Stefanie Machado/Departamento de Comunicação da Prefeitura de Criciúma