InternetData CenterAssinante

'Não vamos permitir que maculem a imagem deste governador', desabafa Carlos Moisés

Governador rebateu críticas sobre a compra dos 200 respiradores pelo Governo do Estado
'Não vamos permitir que maculem a imagem deste governador', desabafa Carlos Moisés
Foto: Cristiano Estrela/Secom
Por Lucas Renan Domingos Em 13/05/2020 às 20:11

O governador de Santa Catarina, Carlos Moisés, desabafou sobre o caso da compra dos mais de 200 respiradores junto à Veigamed – equipamentos que ainda não foram entregues. Durante coletiva desta quarta-feira, dia 13, o assunto voltou a ser abordado e Moisés se posicionou ao ser novamente questionado sobre o processo que custou R$ 33 milhões aos cofres públicos e é alvo de investigações da Operação O2.

O chefe do Executivo catarinense endureceu o discurso. Em sua fala, ele defendeu o papel do Governo de Santa Catarina no enfrentamento da Covid-19 e garantiu que o Estado vai esclarecer o processo.

“Não vamos permitir que maculem a imagem deste governador, que tem uma história ilibada frente ao Estado de Santa Catarina. Tenho mais de 30 anos de serviço público. Ninguém se lembra disso, parece”, pontuou. “Vamos recuperar qualquer dano que tenha sido aplicado ao erário público. Responsáveis serão responsabilizados, não tenham dúvida disso. Toda a informação virá à tona. Mas nós não vamos permitir que o brilho do Estado de Santa Catarina, tanto desse governador quanto de toda a equipe da Saúde, da Infraestrutura, da Administração, da Segurança, da Vigilância Sanitária seja lesada, maculada por um fato isolado que aconteceu em Santa Catarina”, completou.

Moisés destacou ainda que o Governo do Estado irá “colocar luz” no processo. “Essa pequena crise que está acontecendo, temos certeza que vamos colocar luz neste processo. Tudo será esclarecido. O erário público está sendo protegido. Saibam que a iniciativa da ação desses mais de R$ 11 milhões que foram bloqueados em Santa Catarina foi iniciativa da Procuradoria Geral do Estado de Santa Catarina, órgão do Executivo, junto com a Secretaria de Fazenda”, disse.