InternetData CenterAssinante

Moisés anuncia autonomia aos prefeitos para a flexibilização do transporte coletivo

Aulas e reuniões de público também poderão ser liberadas pelas prefeituras
Moisés anuncia autonomia aos prefeitos para a flexibilização do transporte coletivo
Foto: Carlos Junior/ACIJ
Por Lucas Renan Domingos Em 27/05/2020 às 16:07

A partir da próxima segunda-feira, dia 1º, cada município poderá, de forma regionalizada ou individual, a flexibilização de mais serviços. A autonomia aos prefeitos foi anunciada pelo governador Carlos Moisés, durante visita à Associação Empresarial de Joinville (ACIJ), na manhã desta quarta-feira, dia 27.

Para tomar as decisões, as prefeituras deverão ter como embasamento uma ferramenta desenvolvida pelo Governo de Santa Catarina que demonstra o avanço do novo coronavírus por regiões do Estado.  

“A partir de segunda-feira, com essa ferramenta epidemiológica, cada região poderá ter uma gestão dissociada de todo o Estado. Não há mais um decreto dizendo que o transporte coletivo está proibido. Cada região, com sua ferramenta, poderá avaliar e dizer naquela situação se com o aumento de casos, do número de óbitos, é seguro voltar o transporte coletivo e até outras atividades que ainda estão paradas”, afirmou Moisés.

Entre as atividades que poderão ser liberadas pelos municípios estão a volta do transporte coletivo, das aulas e também as reuniões de público. “Todas essas atividades são contempladas na ferramenta”, disse o governador. “É uma metodologia que é muito mais abrangente. Ela não vê somente a taxa de contágio, o número de óbitos. Vê também a disponibilidade de leitos, o tipo de curva que se apresenta. É uma ferramenta que vai fazendo a gestão desse desastre na medida em que se tem resultado, com leituras diárias. Ela se baseia nos últimos sete dias e nos próximos 14 dias. Então a partir disso será possível controlar”, acrescentou.


Foto: Carlos Junior/ACIJ

Por meio dos dados, o Governo de Santa Catarina também fará o monitoramento das situações em cada região do Estado. Havendo aumento nos números de contágio, medidas restritivas poderão ser readotadas em locais pontuais.

“Há regiões que, durante a pandemia, vamos ter que restringir as atividades. É bem provável que isso aconteça, para proteger as pessoas. A vida do cidadão catarinense é o bem prioritário. Não é questão de medidas drásticas, mas necessárias. Em algumas regiões é possível, dependendo dos números. Os estudos nos apresentam que nos próximos dias, para Santa Catarina, serão dias em que teremos o avanço no número de casos. Isso está previsto nesta ferramenta e nos indicativos de avaliação epidemiológica. E vamos fazer ações pontuais em parceria com os governos municipais. São 296 chefes de executivos responsáveis para proteger”, completou.