InternetData CenterAssinante

Ministério Público pede suspensão dos serviços do Criciúma Rotativo

Monitores retomaram ao trabalho na última segunda-feira,
Ministério Público pede suspensão dos serviços do Criciúma Rotativo
Foto: Thiago Hockmüller/Arquivo Portal Engeplus
Por Lucas Renan Domingos Em 08/04/2020 às 13:24

O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), por meio da 5ª Promotoria de Justiça da comarca de Criciúma, encaminhou na última segunda-feira, dia 6, um parecer para a Prefeitura de Criciúma pedindo a suspensão dos serviços do Criciúma Rotativo. Desde o início da semana, os monitores, conhecidos como amarelinhos, voltaram ao trabalho após a retomada parcial dos atendimentos dos setores públicos da cidade.

Na avaliação do MPSC, o serviço não consta na lista das atividades autorizadas no território catarinense pelos decretos estaduais que determinam as medidas de emergência de saúde para a contenção da pandemia da Covid-19. O coordenador do Criciúma Rotativo, Frank Bez Fontana explicou que o caso está nas mãos da Procuradoria Geral do município, que deve um dar um parecer até a tarde desta quarta-feira, dia 8, prazo determinado pelo Ministério Público de Santa Catarina.

“Por enquanto os monitores continuam trabalhando normalmente. São 60 profissionais ao todo, mas só estão trabalhando aqueles que têm condições de se deslocarem sem precisar do transporte coletivo, que está suspenso. Então, são aproximadamente 25 monitores nas ruas hoje e estamos priorizando as vias mais movimentadas”, afirmou Fontana.

Ele disse que o serviço foi retomado por um entendimento interno. “Como a Diretoria de Trânsito e Transporte reiniciou algumas atividades, e os monitores fazem parte da diretoria, entendemos que poderia retomar. Mas vamos aguardar o que vai recomendar a Procuradoria”, complementou.

Caso insista em manter a operação dos monitores, os responsáveis estarão sujeitos, inclusive a uma ação civil pública ou outras medidas judiciais e extrajudiciais.