InternetData CenterAssinante

Mineradora lamenta morte de funcionário e garante suporte à família

Fernando Cesário estava internado desde o dia 25 de março no HSJ
Mineradora lamenta morte de funcionário e garante suporte à família
Foto: Arquivo/Portal Engeplus
Por Thiago Hockmüller Em 09/04/2020 às 12:42

A Carbonífera Metropolitana se manifestou após a confirmação da morte do mineiro Fernando Cesário, 37 anos, que estava internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital São José desde o dia 25 de março. Ele sofreu um acidente de trabalho em uma mina de carvão, na cidade de Treviso, passou por cirurgia, mas não resistiu aos ferimentos.

De acordo com o gerente executivo da Carbonífera Metropolitana, Ronaldo Gerent, a empresa está dando todo o suporte psicológico e financeiro para a família da vítima. “A empresa tem que acolher e já estamos fazendo isso, tanto financeiro quanto emocionalmente. Vamos fazer acompanhamento para saber onde podemos ajudar. Não é apenas financeiro, mas emocional e psicológico”, explica.

Fernando era considerado um funcionário experiente e há mais de dois anos atuava na Carbonífera Metropolitana. “Tinha mais quatro anos atuando em outra mineradora. O acidente aconteceu no dia 25 de março e desde então estamos acompanhando o caso e apoiando a esposa do Fernando. Desde o ocorrido as áreas de saúde, segurança e RH (Recursos Humanos) estão em contato constante com a esposa para apoiar no que for necessário. O Fernando Cesário tinha apresentado melhoras, inclusive foi o relato da esposa no dia de ontem”, lamentou.

Fernando trabalhava era operador de máquina e trabalhava em uma galeria com um ajudante de 23 anos. O jovem ficou apenas um dia no hospital e já está fisicamente apto para retomar aos trabalhos. 

Leia mais

Morre um dos mineiros feridos em acidente de trabalho em mina de carvão de Treviso

Operador de máquina e ajudante são atingidos após detonação em mina de carvão

O gerente da Carbonífera Metropolitana explica que o funcionário passará por um período de adaptação antes de voltar para a mina. “Ele está fazendo acompanhamento com a psicóloga. Ele retorna na próxima segunda-feira, dia 13, e fica por um período de quarentena na superfície antes de retorna para a mina. No mínimo uma semana desta forma. Se apresentar melhora, estiver tranquilo, retoma. Fisicamente ele está bem”, conta.

A empresa também garante que está tomando todas as medidas administrativas e técnicas para apurar as circunstâncias do acidente.