InternetData CenterAssinante

‘Luz amarela acesa’, alerta secretário de Saúde sobre aumento dos casos de Covid-19

São 873 pacientes positivados dos quais 13 morreram e 573 estão recuperados
‘Luz amarela acesa’, alerta secretário de Saúde sobre aumento dos casos de Covid-19
Foto: Thiago Hockmüller/Portal Engeplus
Por Rafaela Custódio Em 06/07/2020 às 09:13

Os números da Covid-19 no fim de semana trouxeram preocupação a Secretaria de Saúde de Criciúma. Somente na Capital do Carvão, entre sábado e domingo, dias 4 e 5, a Vigilância Epidemiológica registrou mais 59 positivados, 50 deles moradores da cidade e nove de outros municípios vizinhos, mas notificados pelos órgãos de saúde criciumense.

Na manhã desta segunda-feira, o diretor técnico do Hospital São José (HSJ) e médico infectologista, Raphael Elias Farias, informou que dos 28 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da unidade hospitalar, 19 estão ocupados. Esses dados trouxeram preocupação ao secretário de Saúde de Criciúma, Acélio Casagrande.  

“O fim de semana teve um crescimento no número de internações e positivos. Temos 77 pessoas internadas (suspeitos e confirmados com Covid-19). A luz amarela está acesa. Realmente é uma situação que nos preocupa bastante”, afirmou em entrevista ao jornalista João Paulo Messer, da Rádio Eldorado. 

Recentemente, em entrevista ao Portal Engeplus, o secretário relatou a preocupação com a chegada do frio e também com o mês de julho já que é uma época de baixas temperaturas no Sul catarinense. Na manhã de hoje, ele voltou a frisar a aflição com o momento. “Julho é o mês mais complexo e de mais sofrimento e cuidados pela questão do frio. Acredito que julho tenhamos a maior preocupação de todo período de Covid-19, não sabemos se será o pico, mas acredito que atingiremos a maior curva”, declarou. 

O último boletim epidemiológico de Criciúma atualizado na noite desse domingo, dia 5, apontou que entre moradores de Criciúma, são 873 pacientes positivados dos quais 13 morreram e 573 estão recuperados. Além disso, são 5.929 exames descartados. Entre pessoas de outros municípios, mas que buscaram auxílio em Criciúma, são 365 positivados dos quais 11 morreram. Não consta no relatório o número de recuperados. São 657 casos descartados.