InternetData CenterAssinante

Governo do Estado atua nas cidades catarinenses atingidas por temporal

Os temporais foram registrados em todas as regiões do estado e provocaram três mortes
Governo do Estado atua nas cidades catarinenses atingidas por temporal
Foto: Divulgação / CBMSC
Por Redação Em 30/06/2020 às 21:40

As equipes do Governo do Estado, em especial o Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina (CBMSC) e a Defesa Civil (DC), atendem nesta terça-feira, dia 30, à população catarinense afetada pelos fortes ventos e chuvas que atingiram Santa Catarina. Os temporais foram registrados em todas as regiões do estado e provocaram três mortes, segundo levantamento do Corpo de Bombeiros Militar de SC até as 18h. Uma idosa de 78 anos morreu  em Chapecó atingida por uma árvore. Um homem, em Santo Amaro da Imperatriz, morreu após ser atingido por fios de alta tensão. Em Tijucas, a Força-Tarefa 13 foi acionada para uma ocorrência de Busca e Resgate em Estrutura Colapsada (BREC), com registro de um óbito, além de uma pessoa que segue desaparecida. 

O governador lamenta as mortes e presta solidariedade às famílias e amigos das vítimas. Carlos Moisés acompanha pessoalmente o desenvolvimento das ações das equipes do Estado que atendem os municípios atingidos. “O Governo do Estado não medirá esforços para auxiliar os catarinenses neste momento de dificuldade. Nossa missão é reduzir o sofrimento das pessoas”, afirma.  O chefe do Executivo estadual lembrou a rápida resposta do Governo em eventos recentes, como o tornado no Extremo Oeste.

O levantamento das Coordenadorias Regionais da Defesa Civil, na tarde desta terça-feira, indicava 25 municípios atingidos no Estado. Foram registradas pelos Bombeiros 900 ocorrências no Meio-Oeste, Oeste e Extremo Oeste. O trabalho neste momento é para reestabelecer os serviços o quanto antes e avaliar a extensão dos danos. Conforme a Defesa Civil, os ventos chegaram a 120km/hora no Morro da Igreja, na Serra.

Governo do Estado, junto com os municípios, está fazendo o levantamento da necessidade de itens de ajuda humanitária, como telhas e material de limpeza e higiene. 

Veja os maiores picos, segundo registros da Defesa Civil do estado:

  • Morro da Igreja: 120 km/h
  • Tangará: 111km/h
  • Chapecó: 108 km/h
  • Urupema: 104 km/h
  • Campo Belo do Sul: 100 km/h
  • Água Doce: 98 km/h
  • São Joaquim: 96 km/h
  • Xanxerê: 90 km/h

Desde o início da tarde, todos os batalhões do CBMSC foram acionados. Uma das regiões mais atingidas foi o Oeste, ocorrências, principalmente, de queda de árvore e destelhamento.

Falta de luz

A atualização da Celesc no início da noite, às 19h, contabilizou 1,5 milhão de unidades consumidoras sem energia elétrica em toda área de concessão.

No momento, todas equipes, para serviços leves e pesados, estão em campo para restabelecer o sistema. Os prejuízos ainda estão sendo levantados pelas equipes regionais.

O cabo de fibra ótica da OI, que possibilita a comunicação de seus clientes com o Call Center da empresa, foi rompido. Nesse momento a orientação é para que as pessoas permaneçam em casa, evitem locais próximos às redes de distribuição e estruturas metálicas, não toquem em condutores no chão e os considerem energizados.

Previsão do tempo: quarta ainda tem risco de ventos fortes, ressaca e alagamentos 

O ciclone extratropical continua atuando no Estado nesta quarta-feira, 1º de julho. Segundo a previsão do tempo da Defesa Civil, mesmo em deslocamento para o oceano, o ciclone ainda dá condições para rajadas de vento fortes, podendo superar os 100 km/h até o final da tarde.

Também persiste a previsão de mar muito agitado e ressaca com ondas que podem superar os quatro metros de altura, entre o Litoral Sul e a Grande Florianópolis. Entre a manhã desta quarta, dia 1, e quinta-feira, dia 2, por causa da maré alta, ainda existe risco de alagamentos em toda a região costeira, principalmente no Litoral Sul.

Ainda segundo a previsão, após a passagem do ciclone no estado, uma onda de frio passa a atuar derrubando as temperaturas máximas e mínimas até o próximo sábado, dia 4 de julho.

Colaboração: Secretaria de Estado da Comunicação - Secom

 

Leia mais sobre: