InternetData CenterAssinante

Forquilhinha deve instituir a semana de conscientização e combate à violência contra a mulher

Projeto homenageará a sargento Regiane Terezinha Miranda, vítima de feminicídio
Forquilhinha deve instituir a semana de conscientização e combate à violência contra a mulher
Foto: Divulgação
Por Redação Engeplus Em 16/07/2020 às 16:21

O município de Forquilhinha deve criar a Semana de Conscientização e Combate a Todas as Formas de Violência Contra Mulher. O prefeito Dimas Kammer encaminhou à Câmara de Vereadores o Projeto de Lei nº 21/2020, em homenagem à sargento Regiane Terezinha Miranda que foi vítima de feminicídio.

A iniciativa visa ampliar o debate sobre os direitos das mulheres e fortalecer o combate contra todos os tipos de violência. “O dia 13 de julho ficou marcado como um dos mais tristes de Forquilhinha, quando perdemos a Regiane, vítima de feminicídio. O projeto é um tributo à ela, que fazia parte da Rede Catarina de Proteção à Mulher, e a tantas mulheres que também foram vítimas”, disse o prefeito.

O projeto em questão busca criar uma rede de conscientização e combate junto à população, através de palestras, debates, seminários, dentre outros, com o intuito de diminuir atos de negligência, discriminação ou qualquer tipo de violência contra a mulher, bem como conscientizar a população sobre a importância do tema.

A procuradora adjunta da Prefeitura de Forquilhinha, Ana Paula De Luca, contribuiu com a redação do projeto. Para ela, será uma forma de contribuir com o legado deixado pela sargento Regiane. “Inspirados no bom combate, o presente instrumento busca enfrentar todas as formas de violência contra a mulher, especialmente em nosso município, utilizando-se da arma mais poderosa: A educação”, ressaltou.

No Brasil, os dados levantados pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública apontam que houve um aumento de 22% nos registros de casos de feminicídio durante a pandemia do novo coronavírus. O número passou de 117, em 2019, para 143 neste ano nos meses de março e abril. Em Santa Catarina, até maio de 2020, foram 21 mulheres vítimas de feminicídio.   

Colaboração: Filipe Casagrande/Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Forquilhinha