InternetData CenterAssinante

Erosão provocada pelo rio Araranguá exige construção de novo trecho de rodovia

Serão necessários seis dias de trabalho aos fins de semana para reparar o local
Erosão provocada pelo rio Araranguá exige construção de novo trecho de rodovia
Foto: Divulgação
Por Redação Engeplus Em 06/08/2020 às 14:57

Serão necessários até seis dias de trabalho, aos fins de semana, para construção de cerca de 100 metros de um novo trecho, invadindo espaço ocupado para cultura do arroz, para restabelecer o tráfego de veículos na rodovia marginal ao rio Arararanguá, na localidade conhecida como Volta do Silveira, em Maracajá.

No local, o rio que limita o município e a cidade de Araranguá, na margem maracajaense, provocou erosão em mais de 50 metros da rodovia, interrompendo o tráfego de veículos. Quando restabelecido o trânsito, caminhões com mais de 10 toneladas serão proibidos de trafegar pelo local. As decisões foram tomadas em reunião entre o prefeito Arlindo Rocha e proprietários das áreas.

Há menos de um mês, depois de dias seguidos de chuvas na região e com o rio Araranguá avançando sobre as áreas mais baixas, se deu a erosão do trecho da rodovia que, em princípio, era utilizada apenas por moradores da região, pescadores artesanais e produtores de arroz, cultura predominando naquela área.

A rodovia, no entanto, há meses, segundo os proprietários, passou a ser utilizada por motoristas de caminhões de grande porte que transportam minérios extraídos no distrito de Hercílio Luz, em Araranguá, e que foram impedidos de trafegar pelas rodovias asfaltadas no Encruzo do Barro Vermelho e Espigão da Toca.

Por iniciativa da empresa que abastece estes caminhões, relatam ainda os produtores de arroz, e sem conhecimento da administração municipal, moto niveladoras ampliaram a largura da rodovia, em direção à margem do rio, retirando vegetação ciliar e fragilizando o solo. A erosão, entendem, foi consequência e pode se repetir em outros trechos.

Do debate com os  rizicultores, e com orientação da engenheira Vanessa Jerônimo, diretora do Departamento Municipal de Obras, o leito da rodovia será desviado no ponto onde houve a erosão. Um novo trecho será construído com máquinas, caminhões e servidores municipais em dois ou, até, três finais de semana. Ela acredita que o trabalho possa ser concluído até o final deste mês de agosto, ou início de setembro.

Ao mesmo tempo, o setor de engenharia da administração vai elaborar projeto para, em primeiro momento, proteger a margem do rio até onde se estendeu a erosão e buscar licenças ambientais e alternativas para evitar mais danos ao solo e, possivelmente, recuperar o trecho. Os motivos do prejuízo ao meio ambiente também serão estudados.

Colaboração: Gilvan de França/Assessoria de Comunicação Social da Prefeitura de Maracajá