InternetData CenterAssinante

Equipe da PMP-BS estabiliza duas gaivotas resgatadas em dezembro

Aves foram encaminhadas para a Associação R3 Animal no dia 4 de janeiro
 Equipe da PMP-BS estabiliza duas gaivotas resgatadas em dezembro
Foto: Divulgação
Por Thiago Hockmüller Em 13/01/2020 às 12:40

Duas gaivotas resgatadas no dia 26 de dezembro, uma em Laguna e a outra em Palhoça, estão estabilizadas e iniciaram o processo de reabilitação para retornarem a natureza. Ambas chegaram em estado grave na Unidade de Estabilização de Fauna Marinha da Udesc, onde foram tratadas com suporte nutricional e antibiótico.  

De acordo com o Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS), uma das gaivotas foi recolhida na praia lagunense de Itapirubá Sul. A outra foi encontrada por uma equipe do Instituto Australis. Em comum, os sintomas: ambas apresentavam sinais de intoxicação. “Permaneciam em decúbito esternal com paresia de membros torácicos e dispneia leve”, explica a médica veterinária, Gabriela Cristini de Souza

As aves foram encaminhadas para a Associação R3 Animal no dia 4 de janeiro. No órgão, elas estão em processo de reabilitação para serem devolvidas a natureza. 

Sobre o projeto  

O Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) é um conduzido pelo Ibama e tem como objetivo avaliar os possíveis impactos das atividades de produção e escoamento de petróleo sobre as aves, tartarugas e mamíferos marinhos.   

O PMP-BS/Udesc é responsável por monitorar o Trecho 1, que compreende a distância entre a Praia do Mar Grosso em Laguna até a Praia da Luz em Imbituba. O projeto inteiro monitora, presta atendimento veterinário aos animais vivos e necropsia dos animais encontrados mortos em uma extensão de área que vai desde Laguna até Saquarema (RJ) e está dividido em 15 trechos.   

O projeto atende chamados emergenciais pelo telefone 0800 642-3341. 

Leia mais sobre: