InternetData CenterAssinante

Diminui a aglomeração de pessoas nos supermercados, avalia Acats

Estabelecimentos fizeram campanha para diminuir a quantidade de clientes nas lojas
Diminui a aglomeração de pessoas nos supermercados, avalia Acats
Foto: Samira Pereira/Arquivo
Por Lucas Renan Domingos Em 18/08/2020 às 17:06

No mês de julho, a Prefeitura de Criciúma declarou guerra contra o novo coronavírus e determinou novas medidas para evitar a proliferação da doença no município. Uma das preocupações era a quantidade de pessoas dentro dos supermercados. Diante da situação foi iniciada uma campanha em conjunto com as redes supermercadistas para diminuir a quantidade de clientes nas lojas. A recomendação, que segue valendo, é para que apenas uma pessoa por família realize as compras.

Conforme o vice-presidente regional Sul da da Associação Catarinense dos supermercados, Nazareno Dorneles Alves, a medida surtiu o efeito esperado. “Estamos muito satisfeitos com o resultado. Os mercados estão atendendo normalmente e sem aglomeração de pessoas. Dentro das lojas, os clientes têm respondido bem às recomendações e seguindo o comportamento exigido”, analisou.

Novas medidas sanitárias para evitar o contágio da Covid-19 também foram adotadas pelos supermercados de Criciúma. “Em algumas cidades da região Sul de Santa Catarina a medição de temperatura se tornou obrigatória. Aqui em Criciúma não tem nenhum decreto que exija esse controle, mas os supermercados resolveram também adotar aqui no município para dar mais tranquilidade aos clientes”, acrescentou Alves.

Baixo número de afastamentos

Classificados como serviços essenciais, os supermercados não fecharam as portas em nenhum momento durante a pandemia. Mesmo com a alta circulação de pessoas dentro das lojas, segundo afirmou a Acats, o número de afastamento de funcionários dos estabelecimentos por estarem contagiados com a Covid-19 é baixo.

“O que está acontecendo mais é afastamento por precaução. São trabalhadores que apresentam algum sintoma ou que tiveram contato com algum familiar positivado e ficam em isolamento por 14 dias, como determina o Ministério da Saúde. São poucos os que acabam tendo resultados positivos. Tanto que não estamos tento nenhum problema nos atendimentos por falta de mão de obra”, analisou.