InternetData CenterAssinante

Dados do Governo de Santa Catarina apontam que a Covid-19 segue avançando no Sul do Estado

Conforme passam as semanas, mais cidades da região registram seus primeiros casos
Dados do Governo de Santa Catarina apontam que a Covid-19 segue avançando no Sul do Estado
Foto: Rafaela Custódio/Arquivo Portal Engeplus
Por Lucas Renan Domingos Em 26/05/2020 às 16:38

Na última sexta-feira, dia 22, o Governo de Santa Catarina anunciou uma nova ferramenta para medir o avanço do coronavírus no Estado. A plataforma apresenta o comportamento da Covid-19 de forma regionalizada. Os dados irão contribuir para que as medidas de flexibilização ou restrição sejam adotadas por regiões, sem afetar todos os municípios catarinenses. O Sul do Estado é, atualmente, a região com maior número de mortes (26) e a segunda com maior número de casos confirmados (1.093).

Os boletins divulgados diariamente pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) apontam que no Sul, a doença segue se alastrando. Conforme avançam as semanas, novas cidades registram seus primeiros casos. De acordo o último boletim da SES, publicado nessa segunda-feira, dia 25, no Sul catarinense, dos 45 municípios que formam a região, apenas quatro ainda não tiveram nenhum caso confirmado – Ermo, Imaruí, Santa Rosa de Lima e Treviso.


Fonte: coronavirus.sc.gov.br

Os primeiros casos confirmados do novo coronavírus no Sul de Santa Catarina foram registrados no dia 16 de março, quando dois pacientes foram diagnosticados com a doença em Braço do Norte. No dia seguinte, o governador Carlos Moisés anunciou situação de emergência no Estado, decretando a quarentena.

No dia 18 de março, Tubarão entrou na lista. No dia 25 de março, já eram novos oito municípios com pacientes diagnosticados com a Covid-19, em 9 de abril, mais 15 cidades apareceram nos números da SES e, em 9 de maio, outros 12.

16 de março - Primeiros casos no Sul do Estado

Dois pacientes de Braço do Norte

 

17 de março – Governador decretou estado de emergência

Motivo: identificação de transmissão comunitária no Sul do Estado

 

18 de março – 14 casos confirmados no Estado

No Sul:

Braço do Norte – 2
Tubarão - 2

 

25 de março

Balneário Arroio do Silva – 1*
Braço do Norte – 9
Criciúma – 11*
Gravatal – 3*
Içara – 1*
Imbituba – 4*
Jaguaruna – 2*
Laguna – 1*
São Ludgero – 1*
Tubarão – 8

 

9 de abril – 15 dias depois

Araranguá – 4*
Balneário Arroio do Silva – 2
Balneário Gaivota – 2*
Braço do Norte – 25
Cocal do Sul – 1*
Criciúma – 37
Forquilhinha – 1*
Garopaba – 1*
Gravatal – 7
Içara – 7
Imbituba – 9
Jaguaruna – 3
Laguna – 4
Morro da Fumaça – 2*
Orleans – 1*
Pedras Grandes – 2*
Pescaria Brava – 1*
Sangão – 1*
São Ludgero – 6
Siderópolis – 5*
Sombrio – 6*
Timbé do Sul – 1*
Tubarão – 22
Urussanga – 3*

 

9 de maio – um mês depois

Araranguá – 10
Armazém – 21*
Balneário Arroio do Silva – 6
Balneário Gaivota – 8
Balneário Rincão – 2*
Braço do Norte – 102
Capivari de Baixo – 15*
Cocal do Sul – 3
Criciúma – 209
Forquilhinha – 3
Garopaba – 2
Grão-Pará – 1*
Gravatal – 22
Içara – 14
Imbituba – 28
Jaguaruna – 7
Laguna – 11
Maracajá – 1*
Meleiro – 2*
Morro da Fumaça – 6
Nova Veneza – 7*
Orleans – 19
Passo de Torres – 1*
Pedras Grandes – 4
Pescaria Brava – 1
Rio Fortuna – 1*
Sangão – 16
Santa Rosa do Sul – 5*
São Ludgero – 23
São Martinho – 3*
Siderópolis – 14
Sombrio – 34
Timbé do Sul – 5
Treze de Maio – 3*
Tubarão – 72
Turvo – 2*
Urussanga – 13

*Novas cidades que registraram casos

Mais recentemente, conforme o último boletim publicado pela SES, mais cinco cidades do Sul entraram para a lista de municípios com pelo menos um caso confirmado de novo coronavírus:

25 de maio – último boletim divulgado

Araranguá – 48
Armazém – 24
Balneário Arroio do Silva – 16
Balneário Gaivota – 9
Balneário Rincão – 3
Braço do Norte – 105
Capivari de Baixo – 19
Cocal do Sul – 13
Criciúma – 354
Forquilhinha – 23
Garopaba – 2
Grão-Pará – 3
Gravatal – 25
Içara – 24
Imbituba – 34
Jacinto Machado – 2*
Jaguaruna – 9
Laguna – 14
Lauro Müller – 1*
Maracajá – 13
Meleiro – 12
Morro da Fumaça – 8
Morro Grande – 1*
Nova Veneza – 25
Orleans – 23
Passo de Torres – 2
Pedras Grandes – 2
Pescaria Brava – 1
Praia Grande – 1*
Rio Fortuna – 1
Sangão – 18
Santa Rosa do Sul – 8
São João do Sul – 1*
São Ludgero – 28
São Martinho – 3
Siderópolis – 17
Sombrio – 54
Timbé do Sul – 5
Treze de Maio – 3
Tubarão – 113
Turvo – 3
Urussanga – 25

*Novas cidades que registraram casos

Na avaliação do Governo de Santa Catarina, a chegada do novo coronavírus em novos municípios era aguardada. “O aumento de casos é um movimento esperado diante do avanço da pandemia e da ampliação de testagem. O Governo de Santa Catarina já criou 396 novos leitos de UTI em hospitais públicos e filantrópicos desde o início da pandemia do novo coronavírus – o que representa 40% a mais da capacidade hospitalar pré-existente no Estado. Mas é fundamental que neste momento cada um faça sua parte e, quem puder, fique em casa”, afirma nota encaminhada pela Secretaria de Estado da Comunicação (Secom) ao Portal Engeplus.

Ainda segundo a resposta do Estado, a SES está atenta aos movimentos de avanço da doença no solo catarinense e, caso haja crescimentos expressivos, medidas mais restritivas podem ser tomadas por regiões, como já foi feito para o Oeste e para o Alto Uruguai.

“O Governo do Estado atua com avaliação e projeção de cenários do novo coronavírus de forma constante. O Centro de Operações de Emergência em Saúde (COES) trabalha com a análise diária da evolução do número de casos e ocupação de leitos ambulatoriais e de UTI em Santa Catarina para a tomada de decisão”, reforçou a nota da Secom.

Fonte: coronavirus.sc.gov.br

Rápida evolução

Alguns municípios do Sul do Estado, após a comprovação do primeiro paciente com a Covid-19, apresentam rápida evolução no número de casos. Nas últimas duas semanas, por exemplo, cidades como Araranguá, Meleiro, Forquilhinha, Cocal e Maracajá apresentaram as maiores variações. Em Maracajá esse número, sempre de acordo com os dados do Estado, saltou 1200%. Conforme o coordenador do Departamento Municipal de Saúde de Maracajá, Diogo Copetti, essa variação está sendo investigada pela prefeitura. A dúvida está na confiabilidade de alguns testes.

“Tivemos caso aqui em que a pessoa fez o teste rápido e deu positivo. Depois o mesmo paciente fez exame em um laboratório particular e deu negativo. Estamos analisando isso. É uma coisa que nos preocupa”, afirmou Copetti.

Cidade

Data do primeiro caso no município

9 de maio

25 de maio

Variação nas últimas duas semanas

Araranguá

3 de abril

10

48

380%

Balneário Arroio do Silva

22 de março

6

16

166,66%

Cocal do Sul

4 de abril

3

13

333,33%

Criciúma

20 de março

209

354

69,37%

Forquilhinha

7 de abril

3

23

666,66%

Maracajá

18 de abril

1

13

1200%

Meleiro

20 de abril

2

12

500%

Nova Veneza

17 de abril

7

25

257,14%

Tubarão

17 de março

72

113

56,94%

Recuperados

Ao mesmo tempo, enquanto avança o número de casos de coroanvírus na região, cresce em paralelo a quantidade de pessoas consideradas curadas da doença. Em Santa Catarina são 6.875 catarinenses diagnosticados com a doença, sendo 4.074 já são apontadas como recuperadas pela SES.

O Estado não divulga a lista de recuperados por municípios, mas o Portal Engeplus publica diariamente uma tabela atualizando os números da Covid-19 nas cidades do Sul do Estado. Conforme o levantamento, somente nos municípios da região já há pelo menos 793 pessoas colocadas como curadas nos dados das Secretarias Municipais de Saúde.  

O comportamento da doença nas regiões de Santa Catarina irá balizar a retomada de mais atividades econômicas, como o transporte coletivo, por exemplo. “A retomada gradual de atividades está sendo feita de maneira responsável e calculada, inclusive com o uso de ferramentas que medem o impacto de cada movimento do Governo do Estado. O objetivo é estabelecer um convívio responsável com o vírus, por meio de regramento específico para cada atividade definido pelo COES”, informa a resposta da Secom.

Nota: os números apresentados nesta matéria levam em consideração somente os dados divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde, que podem, em alguns casos, apresentar defasagem, em relação aos dados dos municípios