InternetData CenterAssinante

Criciúma tem mais de 100 funcionários de saúde afastados em meio à pandemia

Nessa segunda-feira, cerca de 20 trabalhadores da saúde foram afastados
Criciúma tem mais de 100 funcionários de saúde afastados em meio à pandemia
Foto: Rafaela Custódio / Arquivo Engeplus
Por Rafaela Custódio Em 24/11/2020 às 14:11

A Secretaria de Saúde de Criciúma informou nesta terça-feira, dia 24, que cerca de 120 profissionais que atuam na saúde pública do município estão afastados de suas funções por motivos variados, como integrar grupo de risco, testes positivos para Covid-19 ou por suspeita. 

Atualmente, cerca de 1,2 mil profissionais atuam na saúde pública de Criciúma. O secretário de Saúde, Acélio Casagrande, demonstrou preocupação com o momento dos trabalhadores. “Eles estão há oito meses atuando contra um problema difícil de lidar. Nessa segunda-feira, 20 profissionais foram afastados de seus cargos”, afirma. 

Segundo o secretário, em todos os setores faltam profissionais. “Estamos sem cinco médicos. Sabe o que isso representa? Que as comunidades estão sem médicos. Também estamos procurando higienizadores, por exemplo”, conta. Casagrande ainda comentou que 10 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital São José (HSJ) estão habilitados, porém faltam profissionais para atuar. “Precisamos contratar trabalhadores da saúde, porém é um momento delicado. Um mês que surpreendeu a todos e não imaginávamos que em novembro atingíramos um número elevado de novos casos e de internações. Vamos continuar trabalhando e buscando o melhor para a população e também para os profissionais da saúde”, pontua. 

Na manhã desta terça-feira, a Vigilância Epidemiológica de Criciúma informou mais dois óbitos provocados pela Covid-19. As vítimas eram residentes do município, segundo a Prefeitura.