InternetData CenterAssinante

Comércio de Criciúma aberto e com movimento nesta segunda-feira

Comerciantes estão trabalhando com máscaras e efetivo reduzido
Comércio de Criciúma aberto e com movimento nesta segunda-feira
Foto: Rafaela Custódio
Por Rafaela Custódio Em 13/04/2020 às 10:55

Após 25 dias, os comerciantes de Criciúma voltaram ao trabalho. A decisão foi tomada pelo governador de Santa, Carlos Moisés (PSL), no último sábado. Nesta segunda-feira, dia 13, a maioria das lojas na Praça Nereu Ramos abriu as portas. Shoppings e galerias ainda não estão autorizados a voltar às atividades, segundo a medida Estado.

O proprietário de uma loja de roupas e acessórios na rua Henrique Lage, Everton Maciel, comenta que existe um fluxo de pessoas circulando na área Central, mas que as vendas ainda não iniciaram nesta manhã. “Pelo menos conseguiremos receber os crediários que estão abertos. As pessoas poderão vir no estabelecimento e pagar suas contas.  Estar com a loja aberta e poder trabalhar já é muito bom”, comenta. 

Maciel ainda relata que tomou as medidas necessárias de higiene sanitária. “Estamos trabalhando de máscaras, estamos higienizando constantemente as mãos para poder atender o cliente da melhor maneira possível”, pontua.

Funcionários faltaram por parada do transporte público 

Sandro Smania possui uma loja de roupas há 15 anos em Criciúma. Além dele, trabalham na loja mais três funcionários, porém nenhum veio trabalhar por falta de transporte público. “Sabíamos que isso iria acontecer. Vamos combinar depois como vamos fazer. Hoje, vamos acomodar as coisas, limpar a loja. Sabemos dos problemas e sabemos ainda que os funcionários querem trabalhar”, afirma. 

Smania relata que não sabe o que acontecerá com a economia de sua loja. “Não sabemos como o público vai reagir ou quantas empresas vão fechar. É difícil fazer uma previsão, mas já é um avanço nós estamos abertos hoje”, finaliza. 

A medida do governador define ainda a abertura de restaurantes, desde que não haja consumo no próprio local para evitar aglomerações. Segundo o texto do novo decreto, a permanência em bares e restaurantes, bem como o transporte coletivo municipal, intermunicipal, interestadual e o transporte internacional, além de shoppings, centros comerciais e galerias serão liberados a partir do dia 30 de abril.

Outros serviços, como eventos e reuniões públicas e privadas (convenções, excursões, cultos e missas, cursos e similares), aulas das redes pública e privada (municipal, estadual e federal), espaços públicos de uso coletivo (parques, praças e praias), eventos esportivos organizados pela Fesporte, e atividades de academias, cinemas e teatros, só serão liberados no dia 31 de maio.

Leia mais sobre: