InternetData CenterAssinante

Caso dos respiradores: servidora exonerada afirma que empresa foi definida de forma antecipada

Em entrevista à NDTV, ela afirmou que Veigamed foi definida pela Secretaria da Casa Civil
Caso dos respiradores: servidora exonerada afirma que empresa foi definida de forma antecipada
Foto: Reprodução/NDTV
Por Lucas Renan Domingos Em 05/05/2020 às 18:24

Em uma entrevista exclusiva ao programa Balanço Geral, da NDTV, nesta terça-feira, dia 5, a ex-superintendente da Superintendência Gestão Administrativa (SGA) da Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina, Márcia Regina Geremias Pauli, falou sopre o episódio da suspeita de compra de respiradores fantasmas por parte do Governo de Santa Catarina. Ela foi exonerada depois que as acusações vieram à tona e passou a ser investigada no processo.

Márcia disse ser inocente e afirmou se sentir injustiçada ao ser a única afastada da função. Segundo a ex-servidora, a empresa Veigamed, contratada para a entrega dos respiradores, teria sido previamente definida. “A empresa foi apresentada para a SGA no dia 22 de março. Quem definiu a compra foi o secretário Helton Zeferino. Cada peça era R$ 169 mil e ele chegou ao valor de R$ 165 mil e aceirou a proposta. A empresa foi definida de forma antecipada e não pela pasta da Saúde, foi pela Secretaria da Casa Civil”, contou.

Ela ainda apontou que o processo passou por outros setores dentro do Governo do Estado. “Como fui a pessoa a ser afastada se ele envolve não só a Secretaria da Saúde. Dentro de outras secretarias tem pelo menos 16 áreas que o processo tramitou. Porque eu fui, de forma covarde e injustamente, exonerada?”, questionou.

Na fala, a Márcia disse que a SGA também havia pedido a criação de uma pré-qualificação de fornecedores para que o Governo de Santa Catarina estivesse blindado contra “a sorte de fornecedores oportunistas”. A ex-superintendente disse não ter a informação se o governador Carlos Moisés sabia da compra, mas acredita ser “pouco provável de que as informações não tenham chegado ao governador”.

Veja abaixo a entrevista: