InternetData CenterAssinante

Cantor Paulo Roberto lançará EP com Mila Teixeira; músicas foram gravadas durante a pandemia

Criciumense de 34 anos possui cerca de 50 músicas autorais
Cantor Paulo Roberto lançará EP com Mila Teixeira; músicas foram gravadas durante a pandemia
Foto: Divulgação
Por Rafaela Custódio Em 28/10/2020 às 08:42

A pandemia do novo coronavírus afastou diversos artistas dos palcos, mas Paulo Roberto, de 34 anos, encontrou uma forma de se reaproximar da música. Ele buscou o tempo mais livre para voltar a focar e tentar buscar um rumo para a carreira musical. Atuando de forma profissional há 13 anos, o artista deverá lançar em novembro um EP em parceria com Milla Teixeira

“Sou músico autodidata desde criança. O primeiro presente que lembro de ter ganhado na vida foi um instrumento musical. Atuo de forma profissional desde 2007. Não consigo dizer que tenho um estilo definido, mas trabalho mais com Rock, Pop Rock, Pop e Pop Alternativo”, conta. 

O criciumense possui cerca de 50 músicas autorais. Recentemente, lançou uma nova canção que já está disponível em todas as plataformas digitais. “A nova canção se chama ‘Fire and Peace’. É de um projeto novo chamado Obliviate, composto por mim e pela minha amiga Milla Teixeira. Alguns meses atrás ela me enviou essa música, gravada no celular em casa, só a voz dela e um violão, pra ver se era possível trabalhar ela de alguma forma. Adorei na hora, mas com a chegada da pandemia, acabamos deixando parada por um tempo”, conta. 

“Voltei a ouvir a música já pensando em como trabalhar ela. Em seguida, convidei a Milla pra formarmos esse grupo. Hoje, a música está disponível em todas as plataformas digitais. Vamos lançar um EP com cinco músicas no dia 5 de novembro. O trabalho foi todo gravado no meu quarto, as letras feitas por ela e toda a gravação feita por mim. No dia 7 de novembro, lançaremos nosso primeiro clipe da música inédita ‘Broken’”, complementou. 

Em virtude da pandemia, o cantor não está realizando apresentações e tem usado o tempo livre para focar ainda mais na música. “Não posso reclamar. Musicalmente, a pandemia foi algo positivo pra mim. Eu estava com uma relação complicada com a música, estava no automático, sabe? A minha relação com a música se resumia a ensaios e shows. Nem ouvir mais pelo simples prazer de ouvir eu fazia. No fim, toda essa situação do vírus acabou me aproximando ainda mais da música e, com isso, acabou nascendo esse novo projeto que está me deixando muito feliz e orgulhoso”, finaliza.

Leia mais sobre: