InternetData CenterAssinante

Cabo Matheus Premoli e o cão Bono: um amor além da farda

O cachorro concluiu a Certificação Nacional de Cães do CBMSC
Cabo Matheus Premoli e o cão Bono: um amor além da farda
Foto: Rafaela Custódio / Portal Engeplus
Por Rafaela Custódio Em 25/12/2020 às 10:20

O Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina (CBMSC) terá à disposição mais um cão certificado em buscas. O cachorro Bono, de 1 ano e 5 meses, concluiu a primeira etapa da Certificação Nacional de Cães. O binômio (dupla entre bombeiro militar e cão de busca) do 4º Batalhão de Bombeiros Militar, formado pelo cabo Matheus Premoli e o cão Bono estão treinando para as próximas etapas da certificação. 

Cabo Premoli atua na cidade de Araranguá, na 3ª Companhia, e é formado há 8 anos. Ele sempre gostou de cães e, em 2012, descobriu a Cinotecnia, que é o conjunto de ações e técnicas relacionadas à criação e treinamento de cães para tarefas específicas. “Quando eu estava no curso em Florianópolis, descobri a cinotecnia. Nas formaturas que a gente fazia, sempre tinha alguém com cachorro. E aí eu fui buscar mais a fundo como funcionava essa área e, em 2013, quando eu já estava formado no Oeste catarinense, eu pedi para fazer o curso, mas não consegui realizar, pois é bastante concorrido. Desde 2013 eu estava tentando fazer e consegui em 2018, quando eu estava trabalhando no quartel de Turvo e, desde então, me apaixonei ainda mais pela atividade”, conta. 

O militar e o cachorro estão juntos desde os 50 dias de vida do animal. “Ele nasceu no dia 2 de julho de 2019, no Dia Nacional do Corpo de Bombeiros. Realizei o curso de cinotecnia e depois fiz mais 300 horas de estágio para ver se realmente queria trabalhar com cachorro, porque é nesse estágio que vamos interagir mais com cães que já estão formados”, cita. “Coloquei meu nome à disposição para receber um cachorro e, em 2019, nasceu uma ninhada no Rio de Janeiro, que a mãe do Bono era aqui de Santa Catarina e foi doada para a corporação do Rio e de nove filhotes, veio um para o Sul de Santa Catarina”, descreve. 

Bono mora com o cabo Premoli e está realizando os treinamentos diariamente. “São treinamentos para desenvolver os estímulos naturais do cachorro. Ele late muito bem, tem um olfato muito apurado. Só começamos a treiná-lo para usar esses instintos a nosso favor. Para nós, é essencial que ele lata. A gente estimula ele a latir para aquilo que queremos. E estimulamos a usar o focinho que é perfeito para encontrar alguém”, conta. 

Como chegaram na certificação?

Todos os cães são obrigados a passar por uma prova de certificação. Existem três níveis de prova. Um é o Nível V, que é o nível de nivelamento, onde vai ver se o cão realmente está apto a fazer os próximos níveis. Aí são duas provas de Nível A, uma noturna e outra diurna. Essas provas certificam os cães para trabalhar dentro do Estado de Santa Catarina, e a prova de Nível B, que vai certificar para fora do Estado. “Desde que peguei ele, a gente já sabia que teríamos que treinar para essas provas que estavam aparecendo. Esse teste que a gente fez agora de Nível V, ele só poderia fazer esta determinada prova em virtude da idade que é para cães de 15 meses. Já a prova Nível A é para cachorros com mais de 18 meses. Como passamos no teste, estamos prontos para a próxima etapa”, explica. 

No que ele pode atuar?

Atualmente, ele não pode atuar sem passar nessa prova de Nível A, que é a de operacionalização do cão. A de nível V foi só de nivelamento. “Todos os dias faço um planejamento de treino. Se é treino de obediência ou treino de busca, ele vai para o quartel comigo, faz a parte de atividade física como nadar, que ele gosta muito”, relata o cabo. 

Quanto tempo de treino?

Segundo o cabo, o treino de obediência é chato para um cachorro, pois é muito maçante. “Tentamos ser o mais prazeroso possível para ele. A prova de busca já é muito mais alegre, ele tá sempre correndo, encontra a vítima, ganha bastante brincadeira, então já se torna um treino mais longo. A atividade física geralmente faz de 30 a 40 minutos de natação para mantermos bastante a forma. O labrador é um cachorro que come bastante, ele gosta muito de comida e se não fizer uma atividade ele começa a engordar e baixa rendimento nos treinos”, ressalta.

Relação com a família?

Além de Bono, Premoli tem mais dois cães, mas garante que todos se dão bem. “Labrador gosta muito de festa e de brincar. Amo estar com ele e de trabalhar diariamente com o Bono. É um sonho sendo realizado. Além disso, vamos poder participar de ações visando ajudar o próximo, pois é um cachorro que gosta de gente e ele vai ter que procurar pessoas, então pra ele vai ser uma coisa perfeita”, destaca. 

Bono é o único cão do Corpo de Bombeiros do Sul do Estado e estará sempre com o cabo Premoli. Os dois serão sempre uma dupla em qualquer ação da instituição. Confira as fotos da dupla: