InternetData CenterAssinante

Seminário deve esclarecer dúvidas e conscientizar sobre doenças meningocócicas

Ação será proposta nos próximos dias pela Secretaria de Saúde e deve alcançar os CEIs
Seminário deve esclarecer dúvidas e conscientizar sobre doenças meningocócicas
Foto: Rafaela Custódio/arquivo Portal Engeplus
Por Thiago Hockmüller Em 03/10/2019 às 17:18

Os alarmantes casos de suspeitas de meningite e meningococcemia no município de Criciúma, inclusive com duas mortes confirmadas em função das infecções, ascendeu um alerta no município. Nos próximos dias, a Secretaria de Saúde deve propor um seminário de esclarecimento e conscientização sobre doenças virais, sobretudo as meningocócicas. 

A ação será proposta para a Associação Feminina de Assistência Social de Criciúma (Afasc), que coordena 33 Centros de Educação Infantil (CEI’s) no município e atende cerca de cinco mil crianças, com idade entre zero e três anos e 11 meses, em tempo parcial ou integral.   

A proposta foi confirmada pelo secretário de Saúde, Acélio Casagrande, em entrevista ao Portal Engeplus, e deve alcançar professores e funcionários dos CEI’s, além de agentes comunitários. “Estamos passando todas as orientações para as escolas. Devemos reunir nos próximos dias as professoras e creches para um seminário e orientar sobre meningite, gripe e outras doenças. Estamos ajustando com a Afasc", informa Casagrande. 

Leia mais

Resultado de exame descarta meningoccecmia, mas ainda há alerta para meningite

Exames apontam que crianças morreram por bactérias diferentes; ambas causam meningite

Na última semana, duas crianças morreram no Hospital Materno Infantil Santa Catarina (HMISC). De acordo com os resultados dos exames, um bebê de sete meses morreu vítima de meningococcemia. Já o segundo menino contraiu meningite bacteriana. 

“Nossa resposta está sendo imediata. Se surgir suspeitas, acionamos a Vigilância Epidemiológica e fazemos tudo dentro do protocolo. Sei que os pais e mães ficam preocupados quando há suspeita, mas não há necessidade de pânico, não é epidemia. Todas as salas são higienizadas conforme orientação da Vigilância, de forma periódica”, explica o secretário. 

Entre as recomendações para evitar o contágio de doenças meningocócicas, está a atualização da carteira de vacinação, manter ambientes residenciais e escolares ventilados, lavar as mãos com água e sabão, além de manter rigorosamente a higiene de pratos, talheres, mamadeiras, chupetas e brinquedos. 

Confira abaixo a nota oficial da Vigilância Epidemiológica de Criciúma: 

A Vigilância Epidemiológica informa que foram liberados resultados parciais do LACEN/SC do último caso suspeito notificado de doença meningocócica no município e foi descartada a meningococcemia, forma mais grave da doença. Outros exames ainda seguem em análise para a conclusão do diagnóstico e a Vigilância Epidemiológica segue monitorando o caso. 

Será mantida a reunião com os pais na unidade escolar frequentada pela criança, ainda hoje, para esclarecimentos. No entanto, não é mais indicada a realização de bloqueio medicamentoso.  Ainda assim, as medidas de controle são essenciais. Entre elas: 

- Atualize a carteira de vacinação; 

- Mantenha os ambientes ventilados; 

- Lave as mãos com água e sabão; 

- Mantenha a higiene rigorosa com pratos, talheres, mamadeiras e chupetas, brinquedos em casa, nas creches e escolas.