InternetData CenterAssinante

Padre Eduardo é ordenado na Catedral São José

A celebração foi presidida pelo Bispo Diocesano, Dom Jacinto Inacio Flach
Padre Eduardo é ordenado na Catedral São José
Foto: Divulgação
Por Redação Engeplus Em 28/07/2019 às 20:34

A Catedral São José esteve em festa nesse sábado, dia 27, por ocasião da missa com o rito de ordenação presbiteral do até então diácono Eduardo Felizardo de Andrade, de 37 anos. Milhares de pessoas de diversas paróquias da Diocese de Criciúma e também de comunidades pertencentes a outras dioceses, por onde o vocacionado atuou durante sua caminhada seminarística, religiosas e seminaristas também se fizeram presentes. A celebração foi presidida pelo Bispo Diocesano, Dom Jacinto Inacio Flach, e concelebrada por dezenas de padres.

“Estamos, mais uma vez, reunidos para um momento tão especial e tão sagrado, que é ordenar um filho para a Igreja, a serviço do povo, a serviço da Igreja que não é do bispo, nem do Papa, nem dos padres, mas de Jesus Cristo. Nós somos convidados, com generosidade, com liberdade e com muito amor a servir esta Igreja que está, cada vez mais, necessitada de estar no meio das comunidades, no meio do povo. O Papa Francisco, em todos os seus pronunciamentos, insiste numa Igreja missionária, uma Igreja que vai ao encontro das pessoas, uma Igreja que não fica esperando em casa. Esta é a grande missão da Igreja e, com a graça de Deus, podemos sonhar com esse lado mais missionário, colocando mais padres próximos do povo, que pode buscar força junto ao seu pastor, seja no momento de uma confissão, de uma orientação, de uma bênção, nos sacramentos”, disse o Bispo em sua homilia.

Dom Jacinto reforçou a tríplice missão a qual o sacerdote é enviado a servir a Igreja: de ensinar, fazendo as pessoas crescerem na fé; de santificar, por meio dos sacramentos oferecidos; e de governar, cuidando da Igreja e voltando seu olhar para as necessidades não só espirituais, mas também materiais do povo.

O epíscopo recordou uma das leituras escolhidas que dizia: “Olho para frente, confio no Senhor e sei a quem vou servir e doar a minha vida”. “Com certeza, Eduardo, há tantos anos te conheço e te acompanho e sei que esta é tua convicção. A tua convicção é, realmente, fazer isso por amor a Deus, à sua Igreja e nada é maior ou melhor nesse mundo do que isso. Aqueles que foram chamados, um dia, por Jesus e deixaram seus barquinhos, sua família, tudo, certamente nunca se arrependeram. Não que tenha sido fácil, todos sabemos que a vida de um padre é uma vida exigente”, disse o Bispo, que destacou a missão do padre diante da sociedade evoluída, porém carente e sofrida dos dias de hoje: “A sociedade precisa de vida, de esperança e de ânimo. Eduardo, nunca tenha medo de perder tempo quando estiver junto das pessoas para animar, para abençoar e para ajudar sempre que for necessário. Esta é a nossa missão. O padre diocesano tem a missão de santificar, no dia a dia, as pessoas, as comunidades, sendo aquela liderança, aquela presença de Jesus Cristo, como um ‘outro Cristo’ no meio da sociedade”, acrescentou.

Dom Jacinto pediu a intercessão dos apóstolos, aqueles primeiros que seguiram Jesus, para que Eduardo possa testemunhar Jesus ao mundo como sacerdote. “É uma bênção maravilhosa que estás recebendo e que, mesmo com sacrifícios, vai trazer alegrias enormes para ti, para tua vida e para tua família. Que Deus te abençoe e te guarde, Eduardo, por toda a tua vida!”, pediu o Bispo Diocesano.

O rito da ordenação

Eduardo foi apresentando pelo pároco da Paróquia São Marcos, padre Vilmar Moretti, e pelo Coordenador Diocesano de Pastoral e pároco da Paróquia São José, padre Antônio da Silva Miguel Júnior. Seguindo o rito, após a homilia, o diácono fez o diálogo de compromisso e se prostrou diante do altar, durante a ladainha de todos os santos. O candidato foi ordenado presbítero com a imposição das mãos do bispo sobre sua cabeça e a oração consecratória. Em seguida, foi revestido com os paramentos sacerdotais, com o auxílio de padre Antônio e de seus pais. Padre Eduardo teve as mãos ungidas com o óleo do Crisma e deu sua  primeira bênção como sacerdote sobre seus pais. Em seguida, ele recebeu o cálice e a patena e recebu os cumprimentos do clero.

A vocação nas mãos de Deus

Padre Eduardo foi ordenado com o lema “Seduziste-me, Senhor; e eu me deixei seduzir (Jr 20,7). “Este lema sacerdotal resume toda a minha experiência do chamado vocacional. Quando pensei em deixar tudo para seguir este caminho, confesso que não sabia a dimensão exata da profundidade de ser um padre, muito menos, as dificuldades que enfrentaria neste longo trajeto. Achei difícil chegar até aqui, foi um caminho de erros e acertos, dúvidas e certezas, mas sempre tive a consciência que Deus estava me conduzindo. Chegar a este momento não é pódio, pelo contrário, é serviço e doação”, disse o novo padre em seu agradecimento, ao final da santa missa.

Gratidão

O neo sacerdote, que hoje está a serviço da Paróquia Santo Agostinho, em Rio Maina, e cresceu na comunidade Nossa Senhora Aparecida, no bairro Sete, agradeceu as casas de formação e todas as paróquias e comunidades por onde passou, de modo especial a sua atual paróquia e à Paróquia São José. Padre Eduardo também agradeceu aos agentes da Pastoral Vocacional e ao presbitério diocesano. “Agradeço a Dom Jacinto, por entender meu coração e, na pessoa dele, a todos os meus formadores. Agradeço o clero pela acolhida, e meu desejo é somar nesta caminhada, para que possamos evangelizar enquanto Igreja diocesana. Aos colegas seminaristas que durante anos convivemos juntos com o mesmo ideal, porém com jeito diferente de ser”.

Padre Eduardo manifestou gratidão especial a suas irmãs, familiares, amigos e benfeitores, e chamou seus pais, Valter e Elizabete, a quem chamou de seus primeiros formadores. “A minha família lutou pela unidade, por isso agradeço a Deus pelo sim do matrimônio que deram, por toda educação na fé, carinho, amizade, alegria da nossa casa, pela simplicidade e, principalmente, por nunca ter desistido de mim, por ter acreditado na minha vocação. Se hoje sou este homem, foi porque tive vocês como exemplo”.