InternetData CenterAssinante

Oficina forma Embaixadores da Justiça Climática em Forquilhinha

O projeto organizado pela Câmara de Vereadores reuniu estudantes de cinco escolas
Oficina forma Embaixadores da Justiça Climática em Forquilhinha
Foto: Divulgação
Por Redação Em 19/09/2019 às 21:25

A quinta-feira, 19, foi especial para 60 alunos de cinco escolas de Forquilhinha. O cenário escolhido foi uma combinação perfeita com o tema trabalhado durante todo o dia. O Parque Ecológico São Francisco de Assis recebeu um movimento mundial chamado de “Greve Geral pelo Clima”, que faz parte de um apelo pelo plantio de árvores, aprovado pela ONU. A ação na cidade foi organizada pela Câmara de Vereadores que trouxe, em parceria com Fundação Ambiental, a Fundação Alemã Plant For The Planet.

O objetivo da atividade, intitulada de Academia, era despertar nas crianças e adolescentes o desejo de fazer a diferença quando se trata de meio ambiente. E esse papel foi cumprido. “Tem muitas pessoas que só se importam com o ambiente em que vivem, mas a gente precisa se preocupar com todo o planeta. O pouco que a gente faz pode se transformar em muito”, ressaltou a estudante de apenas 12 anos, Maria Helena Goulart.

Todos esses estudantes que passaram pela capacitação receberam um certificado de “Embaixadores da Justiça Climática” e a missão deles não para por aqui, como explica o coordenador de projetos da Plant For The Planet, o alemão Lutz Michaelis. “Agora, esses embaixadores vão desenvolver projetos ambientais lá dentro de suas escolas, compartilhando o que eles aprenderam nessa Academia com seus colegas, fazendo dessa forma com que a ideia se multiplique”, garantiu Lutz.

A Academia foi finalizada com o plantio de 80 árvores nativas dentro do Parque. Cada uma delas tem uma placa que identifica a planta e o Embaixador responsável por ela. O presidente da Câmara de Vereadores, Maciel Da Soler, avalia a ação de forma muito positiva. Além de toda questão ambiental envolvida, outro ganho importante foi a aproximação da cidade com a Alemanha. “Podemos dizer que Forquilhinha foi colocada no mapa do mundo com esta ação, já que o movimento é vinculado a ONU”, frisou Da Soler.

A MISSÂO

Todo esse movimento iniciou com um menino de 9 anos na Alemanha e a ideia já se espalhou por todo mundo. Estudantes de 9 a 14 anos recebem o título de Embaixadores da Justiça Climática e são eles que espalham o projeto, por meio das escolas. Em Forquilhinha, os trabalhos foram conduzidos por dois Embaixadores de escolas de Araranguá que já passaram por esse treinamento. A Yasmin Theisen de Figueiredo, de apenas 13 anos, recebeu o certificado em 2017 e agora faz questão de participar das oficinas realizadas pela região. “Ser Embaixador significa ter uma responsabilidade, um dever de plantar mais árvores e espalhar essa ideia o máximo possível. Tudo isso pra gente conseguir melhorar a terra onde nós vivemos e evitar desastres naturais no futuro”, finalizou Yasmin.

Colaboração: Eliane Gonçalves - Assessora de Imprensa