InternetData CenterAssinante

Movimento Negro de Criciúma emite nota de repúdio contra a Festa das Etnias

Grupo reclama de atraso em apresentação e caracteriza o fato como racismo
Movimento Negro de Criciúma emite nota de repúdio contra a Festa das Etnias
Foto: Marcelo De Bona/Arquivo Engeplus
Por Thiago Hockmüller Em 15/09/2019 às 17:46

O Movimento Negro de Criciúma emitiu uma nota, por meio da ACT (Anarquistas Contra o Racismo), em repúdio à 31ª Festa das Etnias de Criciúma. O evento iniciou no último dia 10 e segue até este domingo, no Centro de Eventos José Ijair Conti. A reclamação é por conta de atrasos nas apresentações da última sexta-feira, dia 13, e o grupo alega que foi tratado com racismo.  

Segundo o Movimento Negro, o Grupo Et Op subiu ao palco para protestar por conta do atraso e depois os microfones foram desligados inviabilizando a apresentação. “O Grupo Et Op (Etnia Negra) não conseguiu realizar sua apresentação agendada conforme a programação oficial para as 22h20. Após 2 horas de atraso (à meia noite e meia), crianças e adultos que compõem o Grupo Et Op subiram ao palco como forma de protesto. E ao organizar a aparelhagem para dar início ao espetáculo, os microfones foram desligados. Desta forma, o Grupo não teve condições de realizar a sua apresentação”, diz a nota. 

A organizadora do evento, a Duda Produções, alega que os atrasos de fato ocorreram, sobretudo a partir da metade da programação, mas que os microfones não foram cortados. “Como deu 1h30 de atraso, eles subiram ao palco e já entraram reclamando. Os atrasos foram em todas as apresentações, não apenas na etnia negra. Também repudiamos o racismo, não houve nada nesse sentido, apenas um atraso e eles foram para esse lado. Não baixamos (volume) o microfone. Eles subiriam no palco, falaram o que tinham que falar e não houve ordem para cortar o som. Respeitamos o direito de expressão de cada um. Atrasos ocorreram. Se em um show nacional às vezes atrasam uma hora e meia, duas horas, imagina em um evento com 86 apresentações”, explica organizador da Festa das Etnias, Duda Manenti. 

Ontem (sábado) eles vieram aqui e respeitamos o protesto deles. É o direito de expressão e jamais faríamos algo diferente. Nunca vamos querer atrasar, mas infelizmente houve o atraso. Este foi o grande problema, jamais foi racismo ou deixar eles por último de propósito. Tentamos entregar mais uma festa legal para as famílias criciumenses, deu um público muito bom. Houve esse contratempo, é um ponto que temos que ajustar, mas jamais deve ser levado para o racismo. 

Organizador da Festa das Etnias, Duda Manenti
__________________________

Ele também citou que cada etnia realizou entre cinco e seis apresentações, a maioria com crianças. E que as apresentações infantis agendadas para o final foram realocadas para acontecerem mais cedo. “Atrasos acontecem, imagina um evento com 86 instituições, onde cada uma tem cinco ou seis apresentações. A dificuldade é grande, ainda mais quando se lida com crianças entre seis e sete anos. No final, isso dá um atraso grande, acontece. É muita gente apresentando, muitas crianças. Deixamos para o final as apresentações com o pessoal mais velho, eu não poderia colocar crianças se apresentando às 22 horas”, esclarece. 

Ainda na nota, o Movimento Negro pede retratação da organizadora do evento e da Fundação Cultural de Criciúma. Confira a nota emitida pelo Movimento Negro: 

NOTA DE REPÚDIO À 31ª Festa das Etnias de Criciúma-SC 

O Movimento Negro de Criciúma, nesta nota representado pela Anarquistas Contra o Racismo (ACR) e Entidade Negra Bastiana (ENEB), vem a público manifestar seu repúdio à organização da 31ª Festa das Etnias de Criciúma-SC. Esta manifestação se dá pelo fato que na noite de 13.09.2019 o Grupo Et Op (Etnia Negra) não conseguiu realizar sua apresentação agendada conforme a programação oficial para as 22h20. Após 2 horas de atraso (à meia noite e meia), crianças e adultos que compõem o Grupo Et Op subiram ao palco como forma de protesto. E ao organizar a aparelhagem para dar início ao espetáculo, os microfones foram desligados. Desta forma, o Grupo não teve condições de realizar a sua apresentação. Consideramos um desrespeito com o trabalho do Grupo e caracterizamos como RACISMO a forma como o Grupo foi recebido naquela noite pela organização do evento. O racismo há séculos tem incidido sobre a população negra criciumense, e mais uma vez deixou marcas na vida de nossas crianças e de nossos jovens. Desta forma, solicitamos retratação pública da Empresa DUDA PRODUÇÕES e da Fundação Cultural de Criciúma (responsáveis pela Festa visto que é uma festa municipal), além disso as entidades tomarão outras providências. Criciúma, 14.09.2019.