InternetData CenterAssinante

Major da Polícia Militar de Criciúma realiza curso de Polícia Judiciária na Espanha

Sandi Moris de Medeiros Sartor, de 34 anos, ficou 15 dias na Espanha buscando conhecimento
Major da Polícia Militar de Criciúma realiza curso de Polícia Judiciária na Espanha
Foto: Divulgação
Por Rafaela Custódio Em 14/03/2019 às 10:08

O major Sandi Moris de Medeiros Sartor do 9º Batalhão de Polícia Militar (PM) de Criciúma esteve com mais três policiais - sendo dois tenentes e um major - na Espanha. Eles representaram Santa Catarina e o Brasil no curso de Polícia Judiciária. Participaram ainda integrantes de instituições de segurança da Alemanha, Andorra, Chile, Estados Unidos, Irlanda, Líbano e Turquia.

Sartor explica que foram abertas algumas vagas para oficiais realizarem o curso e ele se inscreveu e foi contemplado para participar. “Foi um curso bem interessante e de muito aprendizado. Eles trabalham com cooperação internacional. A grande preocupação deles é com o terrorismo, tráfico de drogas e de pessoas. Eles mostraram algumas ferramentas que são utilizadas para combater esses crimes. E isso pode nos ajudar”, comenta.

O major ainda ressalta que na Espanha e em praticamente todo o mundo a polícia trabalha de forma integral. “Eles fazem a parte preventiva nas ruas, igual a Polícia Militar. Eles fazem a investigação e por aqui é a Polícia Civil. Após o ato, também fazem a perícia, por exemplo. Lá eles trabalham em todo o processo da ocorrência, desde prevenção até a perícia. Já no Brasil, existem outras instituições que realizam cada processo, não apenas a PM”, explica. “Das polícias que estavam na Espanha, apenas o Brasil não tem o ciclo completo dentro de uma polícia”, completa.

Ele afirmou que nos 15 dias de curso aprendeu muito com a Guarda Civil da Espanha. “A grande preocupação deles é com o tráfico de drogas também. Porque tem envolvimento com máfias e organizações criminosas. O que também acontece aqui em Santa Catarina”, lembra.

Após chegar em Criciúma, Sartor repassou o conhecimento adquirido aos oficiais. “Eles trabalham muito com o respeito e as garantias individuais. Várias situações precisam de mandamento judicial. Eles guardam bastante o respeito das pessoas, o que vai de encontro conosco também. Algumas formas de prevenção também são parecidas com as nossas”, observa.  

Sartor ressalta que foi uma tranca de experiências bastante válida. “É importante para o conhecimento profissional e também pessoal. Além de manter um canal de comunicação entre as polícias.  Ao final do curso, cada instituição apresentou sua polícia para os outros integrante e isso é muito interessante”, finalizou.