InternetData CenterAssinante

Estudantes e professores protestam em Criciúma contra bloqueio de recursos da educação

Ato aconteceu na Praça Nereu Ramos na área central
Estudantes e professores protestam em Criciúma contra bloqueio de recursos da educação
Foto: Rafaela Custódio
Por Rafaela Custódio Em 15/05/2019 às 12:38

Estudantes e professores da Região Carbonífera protestaram na Praça Nereu Ramos em Criciúma. O ato aconteceu em protesto contra o bloqueio de recursos da educação anunciado pelo Ministério da Educação (MEC). Participaram alunos do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) de Criciúma, Unesc, Senai e de escolas públicas e privadas.

De acordo com Filipe dos Santos, representante estudantil e membro do grupo Resistência Estudantis Contra os Cortes na Educação (RECCE), mais de 200 pessoas participaram do ato. “Nossa bandeira é a educação. Vamos continuar lutando pela educação sempre. Nossa maior preocupação são com nossos projetos e pesquisas. Com o corte das verbas teremos que parar com as pesquisas e isso não prejudica apenas os alunos e sim toda a sociedade”, comenta.

Já a estudante do curso de direito da Unesc, Valéria Vieira ressalta que as próximas gerações sofrerão com esses cortes. “Não irá afetar apenas nós que estudamos hoje. As pessoas que ainda vão entrar nas universidades também serão afetadas. Precisamos rever alguns pontos para que isso não seja realizado”, afirma.

Karina Fernandes também é estudante de direito da Unesc e lembra que as pessoas precisam pensar no próximo. “Meus filhos também vão precisar de estudo e como ficarão? Seria melhor se todo mundo conseguisse pensar no próximo e não vivesse apenas em sua bolha. Temos que nos defender, temos que defender a educação”, relata.

O prefeito de Içara, Murialdo Canto Gastaldon também esteve presente no ato. “Lamento profundamente o anúncio dos cortes na educação. Existe uma luta antiga pela educação e isso só mostra o retrocesso da política brasileira. Estão tirando o dinheiro da educação, mas qual o destino? A educação está em segundo plano para o governo?”, questiona.

O professor Juliano Carrer considera os cortes um absurdo. “O Brasil estava realizando diversos desenvolvimentos para a ciência. A mobilização é necessária. Os cortes afetarão toda a sociedade”, declara.

A estudante de doutorado em ciências da saúde da Unesc, Andriele Vieira comentou que o ato precisava de mais pessoas. “As pessoas não entenderam a importância da pesquisa para o país. A ciência não é apenas para hoje. Me preocupo com a ciência do futuro. É desanimador o que está acontecendo no país”, conta.

Ato macrorregional contra a reforma da Previdência será realizado em Criciúma

Nesta quarta-feira, dia 15, também na Praça Nereu Ramos, a partir das 14 horas, acontecerá um ato macrorregional contra a reforma da Previdência. A ação está sendo organizada pela regional de Criciúma do Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sinte).

Segundo a coordenadora do Sinte Regional de Criciúma, Kelli Pacheco, haverá algumas ações na praça. "Teremos um advogado falando sobre a reforma da Previdência. Ele estará esclarecendo o assunto para as pessoas que estarão presentes. teremos também algumas falas dos trabalhadores sobre a educação. Faremos uma panfletagem para deixar a comunidade mais esclarecida, explicando alguns detalhes", explica.

As regionais de Laguna e Tubarão também confirmaram presença no evento em Criciúma. Além disso, algumas escolas da rede estadual já confirmaram que irão paralisar na data, de acordo com o Sinte, aderindo a Greve Geral da Educação, que estará acontecendo em todo o país.