InternetData CenterAssinante

Estado repassa cerca de R$ 1 milhão para gestão dos Comitês de Bacias Hidrográficas

Parceria com as entidades contribui para o funcionamento dos Comitês no Estado
Estado repassa cerca de R$ 1 milhão para gestão dos Comitês de Bacias Hidrográficas
Foto: Anderson Shimidt / Casan
Por Redação Engeplus Em 20/09/2019 às 11:34

Para assegurar a qualidade e a eficiência da gestão dos recursos hídricos de Santa Catarina, a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE) finalizou o repasse de R$ 952.366,22 às instituições parceiras para o gerenciamento dos Comitês das Bacias Hidrográficas do Estado. A parceria com as entidades executivas vem contribuindo para um gerenciamento de excelência na execução do funcionamento dos Comitês no Estado. 

“É papel do Estado garantir que a gestão hídrica seja tratada de forma estratégica e assegurar o uso presente e futuro da água de forma sustentável em Santa Catarina”, destaca o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Lucas Esmeraldino. 

O secretário executivo do Meio Ambiente (Sema), Felipe Assunção Alencar, reforça que as entidades que gerenciam os Comitês de Bacias, têm o propósito de fornecer subsídios e fomentar discussões e ações, em relação à gestão de recursos hídricos. “Assim elas se tornam cada vez mais efetivas na ponta, trazendo resultados relevantes para a população e para o meio ambiente”. 

Nos Termos de Cooperação assinados em 2018, em um Chamamento Público, para a operacionalização dos Comitês das Bacias Hidrográficas ficou definido que o gerenciamento são das seguintes entidades executivas: Proteção da Bacia Hidrográfica do Rio Araranguá, dos Rios Araranguá e Urussanga; Agência Brasileira de Desenvolvimento Regional, do Rio Tubarão, do Complexo Lagunar e do Rio Cubatão, Fundação Educacional da Região de Joinville/FURJ, de Cachoeira e de Itapocu.  

“Os comitês apoiam o Estado no debate e na execução das ações de interesse comum nas bacias hidrográficas e as entidades cumprem o papel de base no gerenciamento, concluindo assim um círculo virtuoso de uma gestão efetiva da água”, completa a diretora de Recursos Hídricos da SDE, Jaqueline Isabel de Souza. 

Leia mais sobre: