InternetData CenterAssinante

Em noite de lua cheia, trilheiros percorrem o caminho dos tropeiros

Oito pessoas caminharam por 12 quilômetros em uma altitude de 1.200 metros
Em noite de lua cheia, trilheiros percorrem o caminho dos tropeiros
Foto: Divulgação
Por Redação Em 15/10/2019 às 21:56 - Atualizado há 1 mês

Com a magia da lua cheia e embriagados de natureza, um grupo de trilheiros de Içara e Criciúma percorreram o caminho dos tropeiros na virada de sábado, dia 12, para domingo, dia 13, no último final de semana. As oito pessoas, sendo duas mulheres e seis homens caminharam cerca de seis horas os 12 quilômetros em uma altitude de 1.200 metros. Eles começaram o trajeto as 22h30 na comunidade de São Pedro, em Siderópolis, e chegaram a Bom Jardim por volta das 4h30 da madrugada de domingo.

No caminho tiveram a companhia de uma nuvem de borboletas, encontraram duas cobras e vários riachos onde abasteceram os cantis de agua. Ao nascer o sol junto às belas montanhas, os colegas descansaram da aventura com uma fogueira e um banho de cachoeira. Há cerca de quatro anos o grupo denominado Midnight Walker ou Caminhantes da Meia Noite realiza trilhas na região de Nova Veneza, Siderópolis e Treviso em busca de cachoeiras escondidas.

São 20 integrantes, mas nesta data nem todos puderam ir. O membro e guia do grupo, Ricardo  Grando, 42 anos de Içara é um apaixonado por trilhas há mais tempo,  desde os 17 anos. Ele conta ser esta a sexta trilha do trajeto, mas a emoção é sempre única e deixa um “gostinho de quero mais. Não é uma trilha para todas as pessoas. O perfil é gostar muito de mato e ter fôlego. Os desafios a serem superados são o extremo cansaço, exaustão e câimbras. No entanto, a mãe natureza recompensa tudo isso. E na noite de lua cheia o clima é espetacular para caminhar com uma paisagem exuberante. Os pés ainda estão doendo as bolhas intermináveis assim com as dores musculares. Ainda assim valeu cada passo desta maravilhosa aventura”, destacou Ricardo.

Conforme ele a parte mais íngreme do caminho fica próximo ao topo da serra. No local existe o formato de uma escada de pedras para facilitar a descida dos bois levados pelos antigos tropeiros mercantis. Lembrando a história, durante mais de um século a estrada foi à única ligação entre o planalto e o litoral catarinense. Os tropeiros levavam ao litoral o gado para o abate e traziam para a serra açúcar, mandioca e sal.

Colaboração: Maristela Benedet

Leia mais sobre: