InternetData CenterAssinante

Do palco do Caldeirão do Huck, para Criciúma

Casal de motociclistas vem até a cidade buscar presente recebido no programa
Do palco do Caldeirão do Huck, para Criciúma
Foto: Heitor Carvalho
Por Heitor Carvalho Em 04/07/2019 às 20:25

Passou por Criciúma nesta quinta-feira, dia 4, o casal de motociclistas Serafín Fernández, de 73 anos e Shirley, de 72. Em janeiro, os uruguaios que moram no Brasil há 42 anos, ficaram conhecidos após participar do quadro ‘The Wall’ do programa Caldeirão do Huck, onde faturaram R$ 24 mil. Em Março, eles voltaram ao programa, a convite de Luciano Huck, dessa vez para receber um presente da Honda, uma motocicleta Honda NC 750X.

A visita à cidade tem um motivo muito especial, buscar o presente recebido no palco, Lucy, apelido que eles deram para a moto em forma de homenagem ao apresentador Luciano Huck. “Não tenho como mensurar o que estou sentido ao receber esse presente, mas sei que é um presente de Deus”, afirmou Serafín que acompanhado da esposa, retirou o veículo na Motozan, concessionária Honda de Criciúma, localizada no bairro Próspera.

Mês passado, no dia 1º, o casal que está junto há 40 anos, completou três anos do início das aventuras sobre duas rodas. Shirley faz uma observação quanto a marca alcançada. “Na primeira vez que eu subi na moto me machuquei, então fiquei um ano sem andar, não conseguia enfrentar o medo, mas superei e há dois anos acompanho meu marido”, conta a motociclista, que ri ao lembrar da situação.

A responsável por fazer o casal vir parar em Criciúma realmente foi Lucy, mas por trás dela teve uma pessoa, Juliana Medeiros, vendedora da concessionária. “Recebemos a informação da Honda sobre a ação no Caldeirão Huck e felizmente tínhamos uma unidade da Honda NC 750X, que era a moto que eles queriam dar de presente, então combinamos de que quando eles passassem por aqui iriam receber a Lucy”.

Após andar mais de 24 mil quilômetros com uma Honda CG 160 e passar pelos 27 estados do Brasil, o casal embarca agora em um novo desafio, uma viagem pelas Américas do Sul, Central e do Norte, indo do Ushuaia ao Alasca, mas antes disso, o objetivo é aproveitar para conhecer melhor a moto.

A partir de 2017 o casal adotou o minimalismo como um estilo de vida, abriu mão de tudo e o pouco que sobrou está sempre com eles, na moto, ou seria na casa? “É como falamos, a nossa casa é pequena mas o quintal é enorme”, brinca Shirley, fazendo referência aos lugares que eles ainda desejam conhecer.