InternetData CenterAssinante

Criciúma entrega cadeiras de rodas adaptadas para usuários do SUS

Equipamentos foram adquiridos por meio do Programa de Órtese/Prótese
Criciúma entrega cadeiras de rodas adaptadas para usuários do SUS
Foto: Simone Costa / Prefeitura de Criciúma
Por Redação Engeplus Em 19/10/2019 às 16:39

Sete cadeiras de rodas adaptadas foram entregues a usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) que possuem deficiências motoras que limitem o desenvolvimento e relacionamento profissional e pessoal. A entrega foi feita pela Secretaria de Saúde e do Programa de Órtese/Prótese e Meios Auxiliares de Locomoção, nessa semana, no Salão Ouro Negro do Paço Municipal Marcos Rovaris, em Criciúma.

“Momentos como esse nos aproximam mais das pessoas e nos deixam extremamente felizes em poder, de fato, atender as necessidades de quem mais precisa”, destacou o prefeito Clésio Salvaro, durante a entrega, que foi acompanhada pelo secretário de Saúde, Acélio Casagrande. “Estamos contemplando famílias que realmente necessitam desse apoio, geralmente as cadeiras têm um alto custo, mas são imprescindíveis para quem possui deficiência motora”, afirmou o secretário.

Programa de Órtese/Prótese e Meios Auxiliares de Locomoção

O Programa de Órtese/Prótese e Meios Auxiliares de Locomoção da Secretaria de Saúde de Criciúma, oferece equipamentos para pessoas com deficiência física ou motora. São cadeiras de rodas simples ou adaptadas, camas hospitalares, muletas, andadores, próteses e órteses. Para serem contempladas, as famílias são cadastradas pelas assistentes sociais dos cinco distritos sanitários, onde são definidas as medidas e a solicitação é encaminhada à coordenadoria do programa. 

“Mensalmente fizemos entregas desses e de tantos outros equipamentos. Procuramos atender a todos dentro da disponibilidade de recursos do programa”, explicou a coordenadora Patrícia Maia. Para a dona de casa Dilcineia da Rocha Tomazi, é difícil ficar sem a cadeira adaptada. “Meu filho de 11 anos, possui paralisia infantil desde o nascimento e a locomoção é feita com a cadeira. Ficar sem ela seria praticamente impossível. Só tenho a agradecer”, afirmou.

Colaboração: Simone Costa

 

Leia mais sobre: