InternetData CenterAssinante

Buracos e lama são desafios diários dos moradores do bairro Linha Batista

Obra na Rodovia Leonardo Bialeck está parada há cerca de um mês
Buracos e lama são desafios diários dos moradores do bairro Linha Batista
Foto: Divulgação
Por Heitor Carvalho Em 06/06/2019 às 17:15

Pessoas transitando entre a lama para poder sair de casa, carros atolados ou quebrados a poucos metros de sair da garagem. Essas são as cenas que diariamente são vistas no bairro Linha Batista, na Rodovia Leonardo Bialeck, que liga Criciúma a Morro da Fumaça. Essa dificuldade para se transitar pelo local se deve a uma obra de pavimentação que está parada há cerca de um mês.

Morador da localidade, Ivan Zaccaron Zanoni afirma que em função do estado em que a estrada se encontra, a situação no bairro é caótica. “Somos obrigados a dar volta pelo bairro Linha Anta ou até mesmo por Morro da Fumaça, por conta dos buracos e do lodo na estrada”. Ele ressalta, ainda, que essa situação pesa no bolso dos moradores. “Somos cada dia mais lesados, seja pelo gasto a mais com a gasolina (para dar a volta), seja com a deterioração dos nossos bens. Diariamente vejo carros atolando, quebrando e pessoas passando pelo local para conseguir pegar o ônibus, que nem consegue chegar à nossa rua”.

Recentemente, durante o temporal que atingiu Criciúma e região, os moradores do bairro ficaram ilhados. Alguns não conseguiram sequer chegar em casa, tendo que encontrar outro lugar para dormir. “O abandono da obra colaborou para ficarmos ilhados, afinal as bocas de lobos estão todas fechadas”, afirma.

A expectativa dos moradores da região é que a prefeitura tome alguma atitude. “Já comunicamos a prefeitura, porém eles falaram que iam resolver a situação e até agora nada.”

O Portal Engeplus tentou contato com a Secretaria Municipal de Infraestrutura, Planejamento e Mobilidade Urbana, mas não obteve resposta até o horário de publicação desta matéria.