InternetData CenterAssinante

Após assembleia, reajuste aceito e fim do impasse entre servidores e Município

Protesto marcado para o final da tarde de ontem virou votação da medida
Após assembleia, reajuste aceito e fim do impasse entre servidores e Município
Foto: Heitor Carvalho/Arquivo Engeplus
Por Thiago Hockmüller Em 07/06/2019 às 10:05

Em assembleia na noite dessa quinta-feira, dia 6, servidores municipais de Criciúma aceitaram a proposta de reajuste encaminhada pelo Executivo. Com isso, estão encerradas as negociações e o resultado do acordo será encaminhado à Câmara de Vereadores para a devida aprovação.

O texto também prevê os reajustes de 2020 para os servidores municipais e para os professores, que recebem via Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb). Esta medida afasta a possibilidade de um novo impasse no próximo ano.

Para 2019, o reajuste será a reposição da inflação do período, de 4,66%. Além disso, os servidores do pátio de máquina receberão uma gratificação de R$ 150. Já os servidores do magistério terão um, reajuste do Fundeb em 4,17%.

A proposta do Governo do Município aconteceu momentos antes de um ato organizado pelos trabalhadores. Aliás, o protesto virou uma assembleia para discutir e votar o encaminhamento da Prefeitura. “Após alguns votos contrários e uma abstenção, eles aprovaram a proposta encaminhada. Entendemos que não é boa, mas a decisão foi baseada de acordo com a conjuntura nacional, que traz instabilidade para a sociedade. É um cenário que não favorece os servidores e a população. Entendemos que o Governo poderia ter feito uma proposta ainda melhor”, explica a presidente do Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Criciúma e Região (Siserp), Jucélia Vargas.

Caso a proposta não fosse encaminhada e também aceita, não estava descartada a possibilidade de greve.

Leia mais sobre: