InternetData CenterAssinante

Amesc vê mais perto a construção de uma ponte para dar início ao projeto Interpraias

Projeto foi entregue ao governador e está sob análise da Secretaria de Infraestrutura
Amesc vê mais perto a construção de uma ponte para dar início ao projeto Interpraias
Foto: Divulgação
Por Thiago Hockmüller Em 12/11/2019 às 12:22

Ao que tudo indica, está mais próxima a construção de uma ponte para ligar Morro dos Conventos ao bairro Hercílio Luz, em Araranguá. Há cerca de 15 dias, o deputado Estadual José Milton Scheffer entregou ao governador de Santa Catarina, Carlos Moisés, o projeto avaliado entre R$ 15 milhões e R$ 18 milhões para a elaboração da estrutura que permitirá a transposição do Rio Araranguá sem o uso da balsa. Existe a expectativa, inclusive, que o governador possa anunciar, de forma extraoficial, a liberação de recursos em sua próxima vinda ao Sul do Estado, que ocorre nesta quinta-feira, dia 14. 

A construção da ponte é uma antiga reinvindicação na região da Associação dos Municípios do Extremo Sul Catarinense (Amesc). Também é considerada providencial para a sequência do projeto da Interpraias, estrada de interligação dos municípios situados entre Laguna e Passo de Torres.  


Balneário de Ilhas é considerado um grande potencial turístico e gastronômico da região Sul

O projeto entregue pelo deputado Zé Milton ainda depende de atualização, uma vez que é datado de 2016. E há uma perspectiva que o valor possa ser menor. Segundo o plano, a ponte terá 390 metros de cumprimento, podendo ser reduzido para 280m conforme a elaboração de um novo estudo.  

“Nós viemos desde março deste ano trabalhando em cima deste projeto. É uma das prioridades da região da Amesc. Em uma das conversas o governador perguntou se tínhamos projeto, fizemos a entrega e mostramos que a ponte é o primeiro passo para consolidar a Interpraias. Sem ela, não adianta pavimentar outras áreas”, explica o deputado. 

Em nota encaminhada ao Portal Engeplus, a Secretaria de Estado de Infraestrutura afirma que “o Governo do Estado recebeu o projeto para construção da ponte para ligar Morro dos Conventos e Ilhas, que está em análise”. O secretário da pasta, Carlos Hassler, também não confirmou o anúncio da obra, no entanto, lembrou da importância que a ponte terá para interligar os municípios litorâneos do Sul catarinense. 

“O governador estará viajando aí para a região, se vai anunciar, aí depende dele. Eu me manifesto depois. Não cheguei a ver o projeto. Para a Interpraias seria muito bom que essa ponte existisse. Não deixa de ter Interpraias se não tiver a ponte, mas podemos fazer uma importante ligação com outro trecho frequentado pelo turismo. É o desenvolvimento na questão do turismo e vai alavancar a região e canalizar investimentos”, argumenta. 

Em setembro, Carlos Moisés confirmou ao Portal Engeplus o desejo de reativar o projeto de construção da Interpraias e disse que a obra está no radar do governo. “Não temos dúvida que é uma obra importante. Ela precisa se conectar ao restante da SC-100, sabemos que há demandas ali, inclusive na questão de transporte de balsa, enfim, de tantas questões que inviabilizam a Interpraias. Está no radar do governo, não fizemos nenhum anúncio precipitado, vamos colocar isso em projeto de governo para gerar desenvolvimento para aquela região e a interpraias está no nosso radar”, disse. 

Viável para orçamento 

Segundo Zé Milton, o custo da construção da ponte não chega a ser um problema para o governo. Segundo ele, é perfeitamente viável enquadrar a obra no orçamento. Além do mais, o deputado argumenta que a Amesc vinha sendo esquecida por governos anteriores e que a transposição do Rio Araranguá, na região de Hercílio Luz, indicaria um movimento diferente do atual governador. 

“A nossa motivação é potencializar a região, que por falta de infraestrutura está subaproveitada. A ponte é um paço fundamental para consolidação da rodovia, vai gerar emprego, aproximar a região e trazer investimento. É uma decisão política do governador de destinar o recurso. É perfeitamente viável, o orçamento do Estado comporta com tranquilidade esse investimento”, afirma 
 

Os governos possuem uma dívida muito grande com a Amesc. Não temos obras de nível grande executada na região, apenas a nível federal. A ponte é uma sinalização importante do Moisés para uma parceria com o extremo Sul Catarinense.  

Deputado Estadual, José Milton Scheffer 
__________


Balsa possibilita a travessia 

Hoje, a travessia do Rio Araranguá, para quem deseja se deslocar de Morro dos Conventos para a região de Hercílio Luz e Ilhas, é realizada por meio de uma balsa. No verão, por exemplo, sobretudo em finais de semanas, longas filas e muitos minutos perdidos antes de chegar à outra margem do rio.  

Resolver este problema é o primeiro passo para que a Interpraias saia definitivamente do papel e consolide o projeto Caminhos do Mar. “Essa região possui apelo turístico muito grande. Significa a ligação do distrito e também de Ilhas com os balneários mais próximos, como Arrio do Silva, Gaivota, Passo de Torres. Essa região tem que sofrer o impacto de infraestrutura para que seja interligada. A ponte é primordial na questão do turismo, pode haver um desenvolvimento não só no balneário pertencente ao município de Araranguá, mas também nos demais”, afirma o prefeito de Araranguá, Mariano Mazzuco
 

Leia mais

Uma ponte no lugar da balsa para dar início ao projeto Interpraias

Amesc ‘esquecida’ e a Interpraias no radar para reativar o desenvolvimento do Extremo Sul
 

O prefeito de Araranguá também acredita que a autorização da construção da ponte aceleraria o financiamento para os municípios pavimentarem seus respectivos trechos da Interpraias. “Na realidade, isso é algo que temos que colocar no orçamento dos próximos anos. Se ganharmos a ponte, ela vai ficar pronta para meados de 2021, se for rápida. Até lá, tem que se construir outras formas de financiamento, emendas parlamentares, recursos do município, para dar prioridade a ligação até ponte. São obras que não são baratas, mas não são tão caras a ponto de que não possamos organizá-las', explica. 

Ainda conforme Mazzuco, a balsa está funcionamento normalmente para atender a demanda do verão e há dois rebocadores disponíveis, além de manutenção periódica.