InternetData CenterAssinante

Reunião no Tribunal de Justiça pode dar fim ao imbróglio das medidas compensatórias

Comunidades localizadas no entorno do Case reivindicam pavimentação de 8km de estrada
Reunião no Tribunal de Justiça pode dar fim ao imbróglio das medidas compensatórias
Foto: Thiago Hockmüller
Por Thiago Hockmüller Em 08/08/2018 às 12:32

As recentes manifestações dos moradores do Espigão da Pedra e dos bairros Morro Albino, Vila Maria e São Domingos começam a surtir efeito na busca pelo cumprimento das medidas compensatórias. Na manhã desta quinta-feira, dia 9, uma comitiva formada por lideranças políticas e das comunidades se desloca para a capital do Estado onde participa de uma reunião com o presidente do Tribunal de Justiça de Santa Catarina, o desembargador Rodrigo Collaço, a partir das 14h.  

As medidas compensatórias fazem parte de um acordo para a implantação do Centro de Atendimento Socioeducativo (Case), que está em reta final de construção e ainda necessita de licenças (como o alvará de funcionamento) para a inauguração.  

A principal reivindicação da comunidade é a pavimentação de oito quilômetros de estrada e que engloba um trecho da rodovia Narciso Dominguini e as ruas Pedro Liberato Pavei, Martinho Teixeira e um trecho da Geral Espigão da Pedra.  

A reunião no TJ, para tratar do assunto, foi convocada pelo próprio desembargador e gerou boas expectativas nas comunidades. “Como é no Tribunal de Justiça, acho que teremos um aceno positivo. Eu vejo como uma reposta (das manifestações), eles perceberam que não estamos contentes. O nosso foco é segurança, e para termos precisamos de mobilidade, da pavimentação asfáltica... o que vem depois é acessório”, comenta a presidente da Associação dos Moradores da localidade do Espigão da Pedra, Rosane Castelan. 

Conforme o vereador Ademir Honorato, a comitiva terá sete lideranças das comunidades envolvidas, entre elas a própria Rosane, e pelo menos três vereadores já estão confirmados (Ademir Honorato, Geovana Zanette e Julio Colombo). A princípio não há confirmação do envio de representantes da prefeitura de Criciúma.