InternetData CenterAssinante

Moradores bloqueiam acesso para o Case e reivindicam cumprimento de medidas compensatórias

Principal motivação do protesto é o pedido para pavimentação da estrada
Moradores bloqueiam acesso para o Case e reivindicam cumprimento de medidas compensatórias
Foto: Ademir Honorato
Por Thiago Hockmüller Em 18/07/2018 às 09:47

Moradores dos bairros Morro Albino e Espigão da Pedra bloquearam na manhã desta quarta-feira, dia 17, a estrada de acesso ao Centro de Atendimento Socioeducativo (Case). A principal reivindicação é o pedido de pavimentação orçada em aproximadamente R$ 10 milhões e que compreende oito quilômetros de estrada. O pedido faz parte das medidas compensatórias acordadas com o Governo do Estado na negociação de implantação do Case na região. 

Três vereadores estão no local: Ademir Honorato (MDB), Aldinei Potelecki (PRB) e Geovana Benedet (PSDB). "Queremos uma solução. Está todo mundo dando "migué" em nós. Não somos contra o Case, mas queremos que o Governo faça um compromisso. O Case beneficia toda a região, e o que vem de benefício para estas comunidades?", questiona Honorato. 

Poeira, buraco, falta de acostamento... 

A falta de infraestrutura se agravou com o trânsito gerado pelas movimentações nas duas penitenciárias (masculina e feminina) e agora com o Case. Além dos buracos na estrada, os moradores também reclamam da poeira em dias secos e da lama em dias chuvosos.  

Tuane Manarin Guizzo, 27 anos, conta que repetidas vezes viu o ônibus escolar ficar atolado na estrada. E com a sua filha, de apenas 7 anos, dentro dele. "É horrível e intransitável. Minha filha tem asma, e tem dias que ela sofre muito com a poeira", lamenta. 

Para Valdecir Antônio Alves, de 54 anos, o poder público precisa tomar alguma iniciativa. O preço pela falta de ação será mais manifestações e novos bloqueios. "Ninguém queria as penitenciárias e o Case, mas tinham que colocar em algum lugar... não somos contra, mas não temos segurança, iluminação, estrada, acostamento. Onde passava 20 agora passam 300. Estamos assustados. Queremos que venham fazer as benfeitorias prometidas", cobra.    

Confira fotos da manifestação: 

Leia mais sobre: