InternetData CenterAssinante

Esther Soares Peruqui: o primeiro bebê da maternidade do Hospital Santa Catarina

Criança nasceu de parto normal e pesando 3,092kg e 47cm
Esther Soares Peruqui: o primeiro bebê da maternidade do Hospital Santa Catarina
Foto: Rafaela Custódio
Por Rafaela Custódio Em 17/12/2018 às 21:32

A ampliação do Hospital Materno Infantil Santa Catarina (HMISC) começou a funcionar às 14h desta segunda-feira, dia 17, e uma equipe médica de seis profissionais realizou o primeiro parto de uma criança às 17h30. Esther Soares Peruqui, de 3,092 kg e 47cm, foi o primeiro bebê da maternidade. 

A família reside no bairro São Luiz, em Criciúma. A mãe Daniele Vefago Soares estava com 39 semanas e um dia e não esperava ter a filha hoje, isso porque nesta terça-feira, dia 18, ela teria mais uma consulta do pré-natal. Mãe de segunda viagem, ela conta que chegou ao Hospital São José às 9h e ficou até às 16h30, mas, na instituição, a equipe médica afirmou que a paciente não estava com dilatação, com isso, precisou de mais de sete horas para ter dilatação e foi encaminhada ao Hospital Materno Infantil Santa Catarina. 

“Cheguei no Santa Catarina e o médico me avisou que eu estava com 9 cm de dilatação e que iria realizar o parto. Não esperava, não estávamos preparados. A equipe médica foi perfeita. Meu pós-parto foi bom, a enfermeira me ajudou a tomar banho, por exemplo”, comenta a mãe. “Quando saí de casa não achei que teria minha filha hoje, achei que era infecção urinária. A dor que senti hoje foi diferente do meu primeiro filho há seis anos”, acrescenta. 

Um mês de boas lembranças para a família

Dezembro será guardado com muito carinho por toda a família, isso porque além do nascimento da Esther, nesta terça-feira, dia 18, é o aniversário do pai do bebê, Odair José Peruqui. “Além da chegada da nossa filha, meu marido faz aniversário amanhã. Este mês também completamos 13 anos de casados e dezembro também é o mês do meu aniversário”, comemora Daniele. 

Equipe 

A equipe que realizou o parto da Esther foi composta por seis profissionais, entre eles o médico Dr. Flávio Giugno. “A sensação é incrível. Trazer uma vida cheia de saúde é gratificante. A expectativa agora é para o próximo parto”, comenta o médico. O diretor do HMISC, Leon Iotti participou do parto. 

Primeira-dama do município de Criciúma presenteia bebê

A primeira-dama de Criciúma, Adriana Salvaro esteve no hospital com o prefeito Clésio Salvaro e levou lembrancinhas para o bebê. “Viemos presentear a mãe que representa a nossa alegria. Trouxemos roupinhas, cobertores, enxoval de criança”, conta. “Trouxemos também enxoval do projeto Bercinho do Amor para entregar para os primeiros bebês. Hoje foi um dia muito esperado, com isso, precisa ser festejado”, acrescenta. 

Próximos partos 

No momento em que a reportagem do Portal Engeplus estava no Hospital Materno Infantil Santa Catarina, mais uma paciente aguardava pela chegada do filho. Desta vez Emilly Marques, de Nova Veneza, aguardava pela chegada de sua filha, Maria Gabrielly. Com 40 semanas, a mãe estava com muita expectativa. “Estou com dores e por isso vim para o hospital. Estou esperando ansiosamente pela chegada da minha filha”, ressalta. 

Hospital Materno Infantil Santa Catarina 

A inauguração da ampliação do Hospital Materno Infantil Santa Catarina (HMISC) aconteceu no sábado, dia 1º de dezembro, mas sua funcionalidade começou apenas nesta segunda-feira, dia 17. A obra está orçada em pouco menos de R$ 6 milhões e possui mais 70 novos leitos, gerando a expectativa de se realizar em torno de 250 partos por mês no local.  Dos 70 novos leitos, 24 são da maternidade, seis na UTI Neonatal, um de isolamento da maternidade, 24 na Clínica da Mulher, um de isolamento na Clínica da Mulher, quatro de observação pós anestésicos e dez de cuidados intermediários.

O diretor do HMISC, Leon Iotti comenta que atualmente o Hospital São José realiza de 180 a 220 partos por mês. Já o HMISC, deverá ter 250 partos ao mês, em média sete partos por dia. 
 
Além dos novos leitos, a obra também contemplou a ampliação da Central de Material Esterilizável (CME), as reformas do refeitório, rede elétrica, de seis leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal no antigo prédio, além da construção da cozinha, compra de equipamentos, instalação de torre de vídeo para cirurgias ginecológicas e pediátricas e reforma do consultório para gestantes.